domingo, 25 de dezembro de 2011

Boas festas e feliz 2012

Gostaria, por meio desta pequena notificação, encerrar temporariamente os meus trabalhos de editor e redator desta fantástica página de raciocínios tecidos com base no real, no verdadeiro, no verídico, no factual, no presencial, no presente, no hoje, visto que 2011 está se esgotando. Esta, portanto, é a ducentésima décima sexta (216ª) e última postagem deste corrente ano, no qual tivemos o direito absoluto de nos valermos da palavra, passaporte da sabedoria e do conhecimento, para nos comunicarmos.

Quero compartilhar a todos vocês, fiéis leitores deste blog, um Natal felicíssimo e um próspero 2012 repleto de novas esperanças a serem cultivadas, prodígios movidos pela formosa e monumental intervenção espiritual de Jesus Cristo. Vale ressaltar que hoje, um domingo - etimologicamente, Dia do Senhor -, é uma data de nobre valia no calendário cristão, o dia em que Ele foi gerado no ventre da Virgem Maria com um singular objetivo: nos salvar de todas as adversidades, mesmo em épocas conturbadas e invadidas pelos atos incendiários e covardes do Maligno.

Enfim, temos generosos caminhos a percorrer, e esperamos que as nossas vidas humanas sejam abençoadas por obra e graça divinas e, se nós alcançarmos êxito, mérito e louvor contínuos, elas sejam frutíferas e luminosas. Pretendo retornar a ampliar o conteúdo deste armazém de ideias jornalísticas pouco antes do final de janeiro de 2012, quando voltarei à rotina clássica permeada por aulas e estudos universitários, formalidades no vocabulário, compromissos e outras coisas que tenham como consequência primaz a exortação do saber.

Desejo a vocês, agora, ótimas festas de fim de ano. Até janeiro de 2012.

Milhões de beijos e abraços geradores de felicidade, sabedoria e comunhão.

Palavras valiosas de Hugo Gonçalves, jornalista em formação acadêmica e exímio amante da conversão dos episódios cotidianos e não cotidianos em matérias informativas e opinativas.

Salvador, 25 de dezembro de 2011.

Feliz Natal e próspero Ano Novo.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Rui Costa assume Casa Civil

Deputado, com quem o governador Jaques Wagner mantém amizade há mais de duas décadas, chefiará pasta estratégica em janeiro

Com informações da Tribuna da Bahia e do portal Radar 64

Correligionário do governador Jaques Wagner (PT) e ex-secretário das Relações Institucionais em sua primeira gestão, o deputado federal Rui Costa, seu amigo há 25 anos, tomará posse na chefia da Casa Civil estadual no dia 5 de janeiro, substituindo a ex-titular Eva Chiavon, atual secretária-executiva do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. O nome do parlamentar foi anunciado por Wagner na última quinta-feira (22).

A Casa Civil, estratégica para as decisões governamentais, está sendo conduzida desde o final de outubro por Carlos Melo, até então chefe de gabinete. No período em que Eva exerceu a titularidade da pasta, ela era hábil em articular os grandes projetos e exigências fundamentais para o crescimento e o desenvolvimento da Bahia, como os trâmites para as implantações da Ferrovia Oeste-Leste e do Porto Sul, que será erguido em Ilhéus, na Região Sul.

Rui Costa, homem de plena confiança de Wagner, admitiu, em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia, ter preparo e disposição para assumir a secretaria. Todavia, Costa ainda não dialogou em definitivo com o chefe do Poder Executivo baiano sobre o cargo que irá comandar, fato a ser concretizado quando o deputado regressar de Brasília, onde ele está envolvido em atividades parlamentares na Câmara dos Deputados.

Ele nega sucessão

Sem citar quaisquer efeitos, o futuro chefe da Casa Civil prognosticou à reportagem do periódico a efetuação de alguns ajustes na equipe da gestão estadual. Enquanto se especula nos bastidores que sua ida à pasta terá como consequência natural a sua pré-candidatura à sucessão de Wagner em 2014, Costa, no entanto, negou a expectativa, acreditando que “o esforço neste momento de governo deve ser para materializar o que está projetado ou iniciado”.

Conforme o parlamentar, a continuidade do PT na administração baiana será assegurada quando houver entregas no andamento dos preparativos para a sucessão. “Se nos dispersarmos ou colocarmos nossas energias na sucessão, vamos perder o foco, contaminar a gestão e comprometer o processo sucessório”, corrobora. O deputado considera o governador um “grande maestro” e afirma que ele poderá analisar todas as alternativas e oportunidades prováveis com vistas ao jogo.

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Ana Júlia é indicada para uma das diretorias da Brasilcap

Bancária, ex-governadora paraense deverá gerir setor financeiro da empresa de capitalização que tem como sócio majoritário o Banco do Brasil

Com informações da Agência Estado e da Wikipédia

Petista não conseguiu renovar o mandato de governadora do seu estado em 2010, perdendo para o atual mandatário, Simão Jatene
(Foto: Divulgação)

A ex-governadora do Pará, Ana Júlia Carepa, do Partido dos Trabalhadores, que não foi reeleita no ano passado em favor de Simão Jatene (PSDB), foi designada para a diretoria financeira da Brasilcap Capitalização S. A. Sua escolha ocorreu devido ao fato de o Banco do Brasil, onde atuava como funcionária de carreira, ser o acionista majoritário da companhia, junto a outros sócios, dentre eles três seguradoras.

De acordo com a reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, a inserção da petista nos quadros da empresa de capitalização trata-se de uma escolha estratégica, pois seu controle acionário é compartilhado pela Banco do Brasil Seguros e Participações (66,6% das ações), pela Icatu Seguros S. A. (16,67%), pela Companhia de Seguros Aliança da Bahia (15,8%) e por sócios minoritários remanescentes (0,87%).

Membro da tendência esquerdista Democracia Socialista (DS), minoritária no seio do PT, a ex-governadora paraense, desde outubro, vinha sendo pressionada pelo partido para garantir um assento na diretoria financeira da Brasilcap. Caso o nome de Ana Júlia seja confirmado para assumi-la, ela deverá integrar o colegiado, do qual fazem parte o presidente da empresa, Marcos Lobão, o diretor Rogério Leite e o diretor comercial Joilson Rodrigues Ferreira.

Ela, já fora do governo estadual, adentrou, meses antes, a corrida sucessória para uma vaga em uma das diretorias do Banco da Amazônia (Basa), a instituição federal de fomento ao desenvolvimento da região. No entanto, Ana Júlia ficou excluída do páreo.

Sindicalismo a fez militar na política

O itinerário político-eleitoral da petista teve seus primórdios no movimento sindical, através do Sindicato dos Bancários do Pará, entidade da qual era presidente, enquanto funcionária concursada do Banco do Brasil. Após seu desligamento das funções profissionais, ela ocupou os seguintes cargos eletivos: vereadora em Belém (1993-1995 e 2001-2003), deputada federal (1995-1996), vice-prefeita (1997-2000), senadora (2003-2006) e governadora (2007-2010).

Ana Júlia havia amargado duas derrotas antes de transferir a chefia do Poder Executivo do estado para o seu arquirrival, o tucano Simão Jatene. Em outras oportunidades, a futura diretora da Brasilcap não obtivera êxito nas candidaturas ao Senado, em 1998, embora ela assumisse a liderança nas pesquisas de opinião, e à prefeitura de Belém, em 2004, saindo como vencedor o atual gestor, Duciomar Costa (PTB), então respaldado por Jatene.

Favorável ao ingresso de Belém na lista das cidades-sede da Copa do Mundo de 2014, a então governadora do Pará não conseguiu revalidar seu mandato no segundo turno de 2010. O fator determinante que provocou tal frustração naquele pleito foi a definição de Manaus, no Amazonas, única da Região Norte a recepcionar os jogos das seleções durante o campeonato de futebol, o que fez Belém ser preterida da disputa.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Exposição retrata o olhar infantil de Pierre Verger

Até 20 de janeiro, no Instituto Feminino, 35 fotos realizadas pelo francês encontram-se agrupadas, focalizando o dia a dia de várias crianças

As imagens, todas em preto e branco, examinam a humildade dos menores baianos, especialmente de Salvador
(Fotos: Alex Baradel)

Já está sendo exposta, desde 24 de novembro último, no Instituto Feminino da Bahia, no Politeama, uma compilação de 35 imagens feitas pelo renomado fotógrafo Pierre Verger (1902-1996). Denominada Pierre Verger: Olhares de Crianças, a exposição mostra fotografias do francês, que era baiano de adoção, tendo como delineamento temático a infância.

Totalmente capturadas em preto e branco, as fotos aglutinadas nas dependências do instituto retratam a humildade de crianças baianas, em particular de Salvador, de acordo com diversas contextualizações do dia a dia – trabalho, divertimento, religiosidade e contemplação. A mostra, organizada pela Fundação Pierre Verger em parceria com a Associação Pontos Coração, com o apoio institucional da Aliança Francesa, dura até 20 de janeiro de 2012.

Segundo o padre Thierry de Roucy, fundador da entidade assistencial co-organizadora da exposição e compatriota de Verger, o tema foi selecionado a partir de dois critérios específicos, a beleza e a capacidade conectiva, propiciadas pelas imagens aos seus observadores.

O acesso à exposição fotográfica equivale a 1 kg de alimento não perecível, cujas arrecadações serão revertidas à Fazenda do Natal, complexo mantido pela Pontos Coração, a 30 km de Salvador, que acolhe menores em situação de risco ou de necessidades básicas. A doação tem como intuito ajudar na manutenção das famílias que recebem suporte material e afetivo.

Serviço

Exposição: Pierre Verger: Olhares de Crianças

Período: 24 de novembro de 2011 a 20 de janeiro de 2012

Horário: Segundas-feiras, das 14 às 17 h; terças a sextas-feiras, das 10 às 12 h e das 14 às 18 h

Local: Instituto Feminino da Bahia – Rua Monsenhor Flaviano, 02, Politeama

Entrada: 1 kg de alimento não perecível

Multipliquemos a paz e a caridade

Doar itens essenciais à subsistência humana de caráter pacífico, independentemente de serem materiais ou espirituais, faz com que as pessoas busquem uma forma diferenciada de enxergar o mundo. É por isso que há os constantes gestos de fraternidade e solidariedade, eternos passos gigantescos para consolidar uma vida isenta de sentimentos antagônicos às nossas aspirações divinas.

As guerras existem; o ódio, o temor, a infelicidade, a discórdia, as injustiças, os terrores, a inveja, a ambição e a ganância também. Mas podemos atenuar essas sensações que implicam pessimismo, e abominá-las, só com uma atitude simples e espontânea: exercer o amor ao próximo, retribuindo aos necessitados a paz, a esperança, o entusiasmo, a alegria, a compaixão, a sinceridade e, em primeiro lugar, a adoração ao Senhor.

O auxílio humanitário, fiel e soberano em todas as nossas circunstâncias, generaliza e multiplica continuamente o plantio e o cultivo do equilíbrio social, da doce inocência pueril até a plenitude da velhice. Se não existisse assistência e consolo, não nos tornaríamos operários encarregados de uma condição vital próspera e, portanto, estaríamos reduzidos a reféns do egoísmo e da deficiência nutritiva do corpo e da alma.

Vejamos quantas crianças, quantos adolescentes, quantos adultos, quantos idosos, quantos centenários pobres, desprovidos de abrigo, comida e vestuário, se readequando a uma outra ocasião proporcionada pelo voluntariado. Quanto magnífico, de horizontal dimensão, e laborioso o esforço dos voluntários em retribuí-los, tão profundas são e sempre serão as probabilidades de as pessoas se sobreviverem, mesmo em situações bastante árduas e perigosas.

Nessa acepção, persistência e perseverança jamais agem em separado, como intermediários construtores de um cotidiano iluminado por Jesus, não somente nas temporalidades que antecedem o Natal e o Ano Novo, mas também durante todos os ciclos e itinerários. Precisamos nos solidarizar em prol da harmonização coletiva, a começar pela família, fundamento de um perfeito laço amoroso, coadjuvado por sua respectiva vizinhança.

Queremos que este contexto que estamos presenciando se baseie numa atmosfera proveitosa, conciliadora e digna de louvor, de misericórdia, de caridade e de muitas lutas a fim de obtermos prováveis tentativas de sucesso. Exatamente com a efetivação da fé em Deus é que a não-violência, por enquanto um singelo desejo, uma mera utopia, se metamorfoseie em exercício usual e intrínseco do ser humano.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Nosso documentário da Jam no MAM recebe elogios

O som do pôr do sol chegou à marca de 70 exibições no Youtube. De quebra, alguns internautas o prestigiaram

O ótimo documentário O som do pôr do sol, que aborda a Jam no MAM, alcançou hoje a cifra de 70 visualizações no Youtube. Neste blog, é possível assistir ao material audiovisual a respeito da série de concertos instrumentais realizada na área externa do Solar do Unhão, sede do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA), entre os fins de tarde e os anoiteceres de cada sábado.

Dirigido por Lorenlai Caribé (Lore), o vídeo foi roteirizado por mim e editado por nós mesmos, estudantes de Jornalismo da Unijorge, como requisito avaliativo para o nosso grupo – integrado por eu, Lorenlai, Carole Lago e Laís Amorim – atingir a média final na disciplina Práticas Investigativas Interdisciplinares III, quando estávamos finalizando o 6º Semestre.

Parabenizando pelo vídeo

Para confirmar o êxito colossal de O som do pôr do sol, três pessoas, meus amigos fiéis, me enviaram boas mensagens de e-mail felicitando e parabenizando o meu grupo pelo nosso trabalho, exaustivo porém vantajoso. Confiram:

Luiz Oliveira - Estudante de Jornalismo da Unijorge e estagiário do MAM-BA – “Parabéns, galera, (o documentário) ficou massa! Boas férias a todos!”

Cláudio Colavolpe - Fotógrafo e professor da Unijorge – “Que legal, Hugo. Parabéns! Realmente está fabuloso! Abs (Abraços), Cláudio Colavolpe.”

Bianca Lessa - Produtora de eventos e minha prima – “Adorei, Hugo... Os músicos são meus amigões... Trabalhei na Jam no MAM como produtora. Que saudade dessa galera.”

Gostinho suavemente mineiro

Vendas de guloseimas fabricadas em Minas vêm modificando o circuito alimentar da vizinha e amiga Bahia

A volumosa comercialização de gêneros alimentícios, bebidas alcoólicas e artefatos procedentes de Minas Gerais é uma coqueluche que vem se proliferando em todo o país. O estado, limítrofe com os baianos e notório por sua inigualável vocação e variedade gastronômica, mantém vínculos amistosos e culturais com o hospitaleiro povo da nossa terra.

Procurar uma casa do ramo na Bahia, sem necessitar se deslocar para o vizinho e pacato torrão, não tem complicação. Uma delas, o Empório Delícias de Minas, aberto há três meses num imóvel térreo da Boca do Rio e decorado com panelas de cobre e alambique, oferece um sortimento de doces, biscoitos, queijos, vinhos, cachaças e licores, em grande parte fabricados artesanalmente na unidade federativa inclusa no nome do estabelecimento.

O comerciante soteropolitano Marcus Figueiredo, dono do empório, conta a justificativa do seu surgimento, tendo as incursões pelo território mineiro como ponto crucial. “Diante de algumas viagens pelo interior de Minas e degustando sua culinária, tivemos a ideia de oferecer a nós, baianos, outro tipo de especialidade”, frisa.

“Eu trabalhava com doces de origem mineira há um tempo, e só agora conseguimos pôr em prática a nossa atividade, buscando sempre novidades para propor aos nossos clientes”, afirma Marcus, que compartilha a participação societária da loja com sua esposa e conterrânea Richele Borges.

Leque de paladares

No amplo rol das mercadorias disponibilizadas pelos clientes estão, conforme observa Marcus, doces de leite cremosos e em barra, doces de coco cremosos, cocadas, ambrosia, goiabada cascão, brigadeiro, casadinho, beijinho, cajuzinho, balas de leite de diversos sabores, biscoitos caseiros doces e salgados, queijos, cachaça de alambique e licores. Há também coco verde e um produto inédito, o vinho de caju, exclusividade da casa.

Segundo o proprietário do Empório Delícias de Minas, os produtos chegam à empresa por intermédio de fornecedores e amigos mineiros. Embora sejam microempreendedores, Marcus e Richele não obtiveram nenhum subsídio ofertado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

A pretensão do casal de comerciantes é que o catálogo de opções da loja seja incrementado em ritmo paulatino. Serão vendidos em breve embutidos, ovos de codorna em conserva, acrescentados a dois diferenciais, os quadros artísticos e as peças de artesanato confeccionadas em madeira. “A gente ainda está negociando com alguns fornecedores”, diz Richele.

Serviço

Loja: Empório Delícias de Minas

Endereço: Rua Simões Filho, 141, Boca do Rio

Telefones: (71) 3491-2959 / (71) 8766-3551 / (71) 8800-0468

E-mail: deliciasdeminas2011@hotmail.com

Moradores protestam contra liminar na Estrada do Coco

Quase 200 manifestantes protestaram neste domingo contra a manobra da Justiça que autorizava o bloqueio de via alternativa ao pedágio no Litoral Norte

Com informações de A Tarde Online e da Tribuna da Bahia

Via Las Palmas ou Cascalheira foi fechada por ordem judicial na última quinta-feira
(Foto: Raul Spinassé/Agência A Tarde)

Usada pelos motoristas como atalho alternativo ao pedágio da rodovia BA-099 – a Estrada do Coco –, a via Las Palmas, que dá acesso ao loteamento homônimo, teve seu fechamento permitido por ordem judicial. Aproximadamente 200 habitantes das localidades do entorno protestaram na manhã deste domingo (18), contra a liminar, provocando transtornos no trânsito da região.

Os manifestantes, a bordo de mais de 50 veículos, deixaram a rodovia, completamente congestionada, em direção a Arembepe, distrito litorâneo do município de Camaçari. Conhecida por Cascalheira, a via alternativa foi bloqueada na última quinta-feira (15), em cumprimento à deliberação da 5ª Vara da Fazenda Pública do Estado, publicada no Diário Oficial da Justiça de 18 de novembro.

Empresa responsável pela administração e conservação da Estrada do Coco, a Concessionária Litoral Norte (CLN) solicitou a decisão da Justiça. Agentes da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) reconheceram a manifestação, no qual estiveram presentes moradores das localidades de Arembepe, Vilas do Atlântico e outras do Litoral Norte.

Para a assessoria de comunicação da CLN, a via Las Palmas é uma “rota de fuga aberta”, que serve para impedir o pagamento da tarifa na praça de pedágio da rodovia após a sua utilização. O acesso às praias da região, pedagiado há onze anos, é cobrado atualmente por R$ 4,90 (dias úteis) e R$ 6,90 (sábados, domingos e feriados), levando-se em consideração veículos pequenos.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Sabor & Saber da Unijorge

Vídeo curto, portanto destinado à web, produzido pelos estudantes do 6º Semestre de Jornalismo do Centro Universitário Jorge Amado (Unijorge) Carole Lago, eu, Laís Amorim e Lorenlai Caribé, tendo como orientador o professor Alberto Oliveira, docente da disciplina Jornalismo Online e Produção de Novos Conteúdos.

Este produto audiovisual consiste em uma matéria jornalística, de foco acadêmico, com duração de 2 minutos e 10 segundos, acerca do recém-inaugurado restaurante-escola Sabor e Saber, iniciativa do Curso Superior de Tecnologia (CST) de Gastronomia da Unijorge, cujos pratos são preparados por seus próprios alunos, divididos em duas equipes com seis cada.

Como ângulo, abordamos o preparo de uma refeição servida no estabelecimento gastronômico, que funciona na praça de alimentação do Prédio 1 do Campus Paralela da instituição de ensino superior, nos turnos matutino e vespertino. Neste caso, a matéria mostra o passo a passo de uma deliciosa bisteca, acompanhada de arroz e farofa, assinada por um dos coordenadores, o chefe de cozinha e professor Rafael Zacarias Vieira.

No final da matéria, o professor Marcos Bonadie, outro coordenador do Sabor & Saber, explica o sucesso do apoio do corpo docente recebido aos alunos nos poucos dias posteriores à inauguração do restaurante-escola. Todas as cenas que sistematizam este vídeo foram gravadas por Carole, Laís e Lorenlai usando um equipamento iTouch. A concepção do roteiro foi atribuída a mim. Carole também teve a preciosa tarefa de narrá-lo.

Durante a maior parcela das imagens da preparação do prato, o fundo musical nelas sobreposto é um trecho da canção Company sin, do conjunto australiano The John Butler Trio, um dos proeminentes astros da surf music internacional na atualidade.

Ficha técnica

Roteiro: Hugo Gonçalves

Imagens: Carole Lago, Laís Amorim e Lorenlai Caribé

Narração: Carole Lago

Edição: Carole Lago e Laís Amorim

Finalização: Laís Amorim

Observação: A divisão de tarefas não aparece nos créditos finais. Neles constam somente a relação dos componentes em ordem alfabética.

A seguir, assistam a íntegra da matéria em questão, cuja finalização levou menos de dois dias, e a transcrição do seu texto. Também acompanhem a leitura do texto que segue logo depois do vídeo, ouvindo com atenção as suas locuções.



Carole Lago (off 1) – O Restaurante-Escola Sabor & Saber é uma iniciativa do curso de Gastronomia da Unijorge. Este é o espaço onde os estudantes vivenciam na prática o funcionamento de uma cozinha profissional, como o preparo desta bisteca, servida com arroz e farofa.

Rafael Zacarias (chefe de cozinha) – Bisteca, suco de acerola, OK, saindo agora. Bisteca, suco de laranja, saindo agora. E bisteca bem passada.

Carole Lago (off 2) – Marcos Bonadie, coordenador do curso de Gastronomia, fala um pouco sobre a iniciativa da implementação do restaurante.

Marcos Bonadie (coordenador) – A gente procurava, temos cerca de dois dias apenas, e estamos num momento muito legal. A gente está apoiando aqui os alunos do curso de Gastronomia, que estão na cozinha e fazendo sucesso. Na verdade, funcionamos no horário do almoço e outro no jantar. A gente já tem opções que atendem aqui ao público da faculdade.

Serviço - Restaurante-Escola Sabor e Saber

Endereço: Unijorge - Avenida Luiz Viana Filho, 6775 - Campus Paralela, Prédio 1, Nível 4, praça de alimentação

Horário de funcionamento: Segundas a sextas-feiras, das 11 às 15 h e das 17 h às 21:30; sábados, das 11 às 13 h.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

O som do pôr do sol

Com duração de exatos seis minutos, este belo material audiovisual, sugestivamente intitulado O som do pôr do sol, é um documentário exploratório do vasto panorama da música instrumental soteropolitana. Entretanto, foi determinado um enfoque único, a Jam no MAM, série de concertos semanais que ocorre todos os sábados, entre o final da tarde e o anoitecer, na área externa do Solar do Unhão, complexo arquitetônico colonial do século XVI e sede do Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA), situado na Avenida Contorno, com direito a uma incrível, charmosa, cômoda e atraente visão da Baía de Todos-os-Santos.

O vídeo, resultado de três meses de definição e delineamento temáticos, pesquisa do ambiente e das fontes, gravação e edição, até a obtenção do material definitivo, trata-se de uma primorosa atividade avaliativa do 6º Semestre do curso de Jornalismo do Centro Universitário Jorge Amado (Unijorge), supervisionada pelo professor Mauro Luciano de Araújo, docente da disciplina Práticas Investigativas Interdisciplinares III. Para idealizá-lo e produzi-lo, foi formado uma equipe de, no mínimo, quatro jovens estudantes com razoável afinidade no assunto abordado: eu, Carole Lago, Laís Amorim e Lorenlai Caribé, esta última perfeitamente infiltrada no jornalismo cultural.

Todas as cenas deste documentário foram gravadas num sábado inesquecível, dia 26 de novembro de 2011, desde a passagem de som, que envolve ajustes prévios como o afinamento dos instrumentos, atingindo seu apogeu na apresentação, efetuada pelos excelentes músicos da chamada Banda Base, aos instantes finais daquela memorável e apoteótica edição da Jam no Mam, com a banda fazendo bem seu show e demonstrando seu talento e sacerdócio artístico. Nele encontram-se inseridas duas versões jazzísticas de canções antológicas da Música Popular Brasileira: O meu amor, de Chico Buarque, e Cravo e canela, de Milton Nascimento e Ronaldo Bastos.

Além disso, são exibidos depoimentos de anônimos estrangeiros de passagem pelas maravilhas de Salvador: o cinegrafista francês Didier Guillon, falando português com sotaque típico de seu país natal, e o casal Jennifer e Robert, de Nova York, Estados Unidos, no original inglês. Em suas falas, eles elogiam a tranquilidade do Solar do Unhão por acolher a Jam e declararam seu incomensurável fascínio pelos encantos e pelas maravilhas proporcionados pela capital baiana. Repare que no depoimento dos dois turistas estadunidenses aparecem as legendas indicando a transcrição dos diálogos, elaboradas pela própria entrevistadora Carole.

Ficha técnica

Direção: Lorenlai Caribé

Edição e finalização: Hugo Gonçalves e Lorenlai Caribé

Roteiro: Hugo Gonçalves

Produção: Carole Lago e Laís Amorim

Imagens: Laís Amorim e Lorenlai Caribé

Narração: Carole Lago

Segue, abaixo, a íntegra do documentário O som do pôr do sol, que levou dois dias para terminar. Ao fim desta postagem, transcrevo completamente o seu texto bem informativo. Por favor, prezados leitores internautas: acompanhem a leitura do texto abaixo escutando o áudio do vídeo a seguir.



Carole Lago (voz over de abertura) – Tema e improvisação sem ensaios prévios. Essa é a fórmula para se obter uma trilha sonora especial nos fins de tarde dos sábados, na área externa do Solar do Unhão, construído no século XVI, que abriga o principal reduto da arte contemporânea da Bahia, o Museu de Arte Moderna, o MAM.

Didier Guillon (cinegrafista) – Eu cheguei aqui a primeira vez, gostei muito dessa abertura cultural num clima mundial que reúne jazz aqui em Salvador. Outra coisa, que é pagode, que é arrocha. É ter assim esse ambiente bem tranquilo, dentro da paz, nunca teve brigas, nunca teve problemas.

Carole Lago (voz over) – Na contramão da maioria das jam sessions espalhadas mundo afora, nas quais os músicos se apresentam após a meia-noite, a Jam no MAM segue uma tendência peculiar. Antes de saírem para tocar em casas noturnas de Salvador, os músicos costumam se reunir para improvisar ao pôr do sol, contemplando a beleza da Baía de Todos-os-Santos.

Carole Lago (voz over) – A Banda Base, formada apenas por instrumentistas, incorpora a tradição percussiva baiana a gêneros como o samba, o frevo, o suingue, a bossa nova, a salsa, o rock e o blues. Essa fusão rítmica resulta no desenvolvimento de uma identidade própria em meio a um estilo singular, o jazz.

Robert (turista de Nova York, EUA) – Estamos muito felizes por ter encontrado este lugar, um ambiente muito agradável, a banda parece ser boa.

Jennifer (turista de Nova York, EUA) – Os petiscos são maravilhosos (risos).

Robert – É legal encontrar no meio do caos em Salvador. É muito bacana essa calmaria.

Jennifer – Parece ser um lugar frequentado pelos nativos da cidade.

Carole Lago (voz over) – A Jam no Mam foi idealizada a fim de produzir um tipo de sonoridade que foge dos parâmetros estabelecidos no mercado fonográfico baiano. Com direção artística e musical do baterista Ivan Huol, a série dá continuidade ao antigo Jazz MAM, realizado entre 1993 e 2001.

Carole Lago (voz over de encerramento) – O projeto semanal atrai, além de virtuoses do cenário instrumental local, artistas brasileiros e estrangeiros. A Jam no MAM, por ser um espaço artístico democrático, viabiliza o livre exercício do improviso junto aos integrantes da Banda Base e aos instrumentistas originários da Bahia.

P. S.: Gostaríamos de agradecer este documentário à toda a equipe do MAM-BA; ao estagiário do seu Núcleo de Comunicação, Luiz Oliveira, colega da nossa turma que nos adquiriu força, dinâmica e auxílio necessários para concretizar este fabuloso trabalho audiovisual, já que ele estava presente naquele dia; aos funcionários do Laboratório de Comunicação (Labcom) da Unijorge, Diogo Soares, Jorge Medina, Raimundo Júnior, Alex Alves e Antônio Muniz.

Ney Campello mostra balanço e projeções para 2014

Secretário analisou as atividades que serão executadas dentro do programa da Copa na Bahia em painel de fórum acerca do torneio

Painel que inaugurou as longas discussões do encontro contou com debate do coordenador da Secopa, Márcio Lima (à esquerda de Campello)
(Foto: Hugo Gonçalves)

O secretário estadual para Assuntos da Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014, Ney Campello, proferiu o painel inaugural do III Fórum Bahia Copa 2014, logo após os componentes da mesa fazerem, durante a solenidade de abertura, suas breves saudações no centro de convenções do Gran Hotel Stella Maris, onde o encontro aconteceu na última segunda-feira (12). Na ocasião, Campello elucidou e analisou as ações, os planos e as metas do programa direcionado à Bahia.

Com o tema “Balanço e perspectivas do programa Copa 2014 na Bahia”, a palestra teve como moderador o coordenador de Promoção e Eventos da Secretaria Estadual para Assuntos da Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014 (Secopa), Márcio Lima, que abriu o debate com tolerância de 15 minutos.

Além de ser o espaço momentâneo em que, exclusivamente na Bahia, serão disputadas as seis partidas de futebol, a Copa credenciará a interiorização dos seus benefícios. Para o palestrante, esse processo indispensável significa que dezenas de municípios do interior, a exemplo de Porto Seguro, Ilhéus, Vitória da Conquista e Santo Antônio de Jesus, estão envolvidos na empreitada com a promoção de fóruns regionais.

A criação da Secopa, o Plano Diretor do torneio futebolístico mundial para a Bahia, o avanço das obras da Arena Fonte Nova, do Porto de Salvador e do Aeroporto Internacional Deputado Luís Eduardo Magalhães, os projetos de mobilidade urbana, o lançamento da tabela dos jogos, o ingresso do estado no circuito da Copa das Confederações 2013 e os legados de natureza social foram apontados por Campello como fatores que ensejam a cooperação harmônica entre as esferas estadual e municipal, “fundamental para nós reduzirmos as sobreposições”.

Por estar incluída em uma agenda sinérgica, com a prevalência de efeitos e dividendos positivos, a visita das seleções de futebol, conforme Ney Campello, oportunizará a potencialização turística. Conforme ele, o grande ineditismo do programa específico da competição são os legados sociais. “Nós saímos do monitoramento dos projetos estruturantes: arena, porto, aeroporto”, afirma, referindo-se à não restrição do plano ao setor de infraestrutura.

Cadeia humanitária

No campo dos legados sociais, tônica do painel de abertura do fórum, Campello mencionou a formação de uma rede filantrópica capaz de articular um sistema de agentes em parceria com organizações e entidades como a Associação Pracatum, do músico Carlinhos Brown, a reinserção educacional de ex-atletas e o estímulo ao esporte escolar. “Nós queremos ver, na Arena Fonte Nova, Sapatão, Osni, Beijoca e tantos que passaram na Bahia”, emociona o secretário, em alusão aos ídolos do futebol baiano do passado.

Investimentos em infraestrutura, mobilidade urbana, acessibilidade, segurança pública e saúde também são aspectos de suma importância para a recepção da Copa 2014 em Salvador e na Região Metropolitana. Somados com a valorização do seu entorno, 40% das obras da arena baiana, que será administrada pela empresa gestora do Amsterdam Arena, na Holanda, um dos estádios monumentais e mais superavitários do mundo, já está concluído.

O novo sistema metroviário, que abrange a cidade de Lauro de Freitas até a Avenida Paralela, terá 34 km de extensão e dará viabilidade operacional e tarifária à sua atual configuração de 6 km, da Lapa ao Acesso Norte. Ney Campello citou a bicicleta como novo modal de transporte em Salvador, ao ser integrada aos modais coletivos – ônibus, veículo leve sobre trilhos (VLT) ou veículo leve sobre pneus (BRT) e metrô.

Os projetos relativos à acessibilidade e à segurança pública visando ao Mundial 2014, explica Campello, já foram finalizados. Para o titular da pasta específica das ações e dos planos prioritários ao Mundial em âmbito estadual, “a relação do policial com o visitante é muito sutil”. Quanto à área da saúde, a projeção é que, até a Copa, a rede hospitalar seja aprimorada e ampliada, reformando hospitais, como o Couto Maia, especializado em doenças infectocontagiosas, e efetuando a construção de novas unidades.

Próximas ações

A Secopa implantará, nos três anos subsequentes, prioridades múltiplas, com ênfase para os cursos de capacitação profissional, o plano de promoção, as inscrições para o voluntariado e a rede social de legados, o prosseguimento das obras de infraestrutura e dos trabalhos da arena, as visitas de delegações, além do suporte para realizar a Fifa Fun Fest e a Public View – transmissão dos jogos da Copa em telões – na capital e nas principais cidades do interior.

Para Campello, a prefeitura de Salvador, no exercício da sua autonomia, adotou instrumentos de parâmetro urbanístico que objetiva modificar o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano (PDDU), basicamente na rede hoteleira.

O secretário reiterou que há duas Copas em disputa no estado, a do espetáculo e a dos legados. “Ela (a Copa) não depende da Fifa e não terminará em 13 de julho de 2014 (data de encerramento da competição)”. Ao encerrar o painel, ele reforçou a afirmativa anterior: “Devemos ser campeões de uma (do espetáculo), mas temos que vencer obrigatoriamente a outra (dos legados)”.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Fórum da Copa 2014 prega a inclusão

Organizada pela Secopa, terceira edição da cerimônia foi realizada hoje, abrindo com uma sequência de pronunciamentos curtos sobre os benefícios da competição futebolística em nível local

Autoridades diversas discursaram por poucos minutos ao introduzir os painéis e as palestras do fórum
(Foto: Hugo Gonçalves)

A fim de fazer do próximo Mundial um ambiente oportuno aos destinos da Bahia, o governo do estado, através da Secretaria para Assuntos da Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014 (Secopa), realizou o terceiro Fórum Bahia Copa 2014. Membros da sociedade civil, cadeirantes, autoridades políticas e judiciárias, representantes governamentais, entre outros, compareceram ao ciclo de palestras com temas pertinentes ao torneio, nesta segunda-feira (12), no centro de convenções do Gran Hotel Stella Maris.

Na solenidade de abertura do fórum, que este ano teve como lema "Por uma Copa inclusiva", houve a execução, em vídeo, dos Hinos Nacional Brasileiro e ao 2 de Julho, o hino oficial baiano. Ambos foram interpretados magistralmente pelo cantor Tatau, acompanhado dos Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia (Neojibá), no Teatro Castro Alves, no ano passado.

Outro material audiovisual foi exibido em seguida, registrando os melhores momentos da Soccerex, a magnificente e mais relevante feira do setor de negócios do futebol do mundo, que ocorreu na cidade do Rio de Janeiro no final de novembro.

Depoimentos do secretário da Secopa, Ney Campello; do ministro do Esporte, Aldo Rebelo; do ex-presidente da Federação Internacional de Futebol Associativo (Fifa), João Havelange; dos ex-jogadores Carlos Alberto Torres e Jairzinho, tricampeões mundiais em 1970; do técnico da seleção do Iraque, Zico; do ex-técnico da seleção brasileira Zagallo; do publicitário Nizan Guanaes; e dos governadores Sérgio Cabral (RJ) e Jaques Wagner (BA), inseridos no vídeo da Soccerex, demonstraram que eles foram unânimes em afirmar a inclusão do estado no espectro das sedes da Copa.

Presença de cadeirantes no evento justificou seu conceito, a inclusão social na Copa
(Foto: Hugo Gonçalves)

Um campeonato acessível

Ao introduzir os painéis e as palestras do encontro, os componentes da mesa saudaram a plateia com seus breves pronunciamentos. Campello percebeu a questão da acessibilidade como um dos temas que prevalecem na agenda do Mundial. "Falamos muito do porto, do aeroporto, da mobilidade urbana, mas precisamos falar mais das pessoas, do capital humano", pontua o titular da Secopa. Ele também observou o impressionante sucesso da delegação brasileira nos Jogos Parapan-Americanos de Guadalajara, no México: o país se tornou campeão absoluto em número de medalhas.

Para o conselheiro do Conselho Estadual de Pessoas com Deficiência, João Prazeres, os portadores de necessidades especiais que moram em Salvador poderão ter "plenas condições e se deslocar para a Arena Fonte Nova". A meta, segundo Prazeres, é assegurar-lhes uma Copa acessível.

Os impactos ambientais no entorno da futura arena foi o assunto do pronunciamento do vereador Sandoval Guimarães (PMDB), que representou a Câmara Municipal de Salvador na cerimônia. Na sequência, o superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) na Bahia, Edival Passos, explicou, em linhas gerais, o programa Sebrae 2014.

Desde 2009, a iniciativa, com vistas à competição, diagnosticou, até 2010, os setores econômicos prioritários em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), desenvolve ações de capacitação profissional, relacionamento com as micro e pequenas empresas e faz divulgar os classificados de oportunidades de negócios para a preparação da Copa em território baiano.

O secretário do Turismo, Domingos Leonelli, em seu rápido discurso, é explicitamente favorável à "profunda democracia com a ideia de inclusão". Ele ficou contente com a percepção de que o principal legado do Mundial 2014 será o capital humano, constituído durante o seu processo, que providenciará efeitos satisfatórios no quadro social.

Subscrito pelo governo estadual e pelo Sebrae, convênio técnico-financeiro celebra legados
(Foto: Hugo Gonçalves)

Midiatismo e necessidade de se transformar

Representando o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do Comitê Organizador Local (COL) da Copa 2014, Ricardo Teixeira, o diretor de relações institucionais do comitê, Fábio Starling, vislumbra que o torneio será um evento midiático inesquecível na Bahia, no país e no mundo. "O futebol, como ferramenta transformadora da sociedade e paixão do povo brasileiro, tem essa missão importante até 2014", alegra-se Starling.

Secretário nacional de Desenvolvimento Turístico do Ministério do Turismo, o baiano Fábio Mota pretende garantir para Salvador recursos destinados à acessibilidade, a obras de requalificação da Feira de São Joaquim, do Centro de Abastecimento (Ceasa) do Rio Vermelho e do Centro Histórico.

Houve, ainda, a assinatura do convênio de cooperação técnica e financeira entre o Sebrae e a Secopa, que objetiva a expansão dos legados sociais na cidade. Conforme o secretário da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Almiro Sena, o próximo Mundial se direciona substancialmente para as pessoas com deficiência. "Essa Copa tem um sujeito específico e determinado, o cadeirante", pondera Sena, último orador da série de pronunciamentos de abertura do fórum.

sábado, 10 de dezembro de 2011

Povo baiano prestigia mandato de Emiliano José

Em sua plenária de encerramento deste ano, deputado federal do PT mobilizou centenas de populares vindos da capital e do interior no auditório da UPB, no Centro Administrativo

Da esquerda para a direita: Jorge Gonçalves, Idalina, Waldir, Emiliano, Vânia Galvão, Antônio Gomes e Penildon Silva Filho
O último encontro de 2011, conduzido pelo deputado, reuniu multidões de todo o estado
(Foto: Divulgação)

Centenas de militantes, políticos, trabalhadores, líderes sindicais, líderes comunitários, dirigentes de entidades representativas, amigos e simpatizantes do deputado federal Emiliano José (PT-BA), provenientes de várias regiões baianas, lotaram, na manhã deste sábado (10), o Auditório Prefeito Lomanto Júnior da União dos Municípios da Bahia (UPB), no Centro Administrativo da Bahia (Cab), para prestigiar a última plenária estadual do mandato do congressista de 2011.

A mesa da sessão foi composta, além do parlamentar, pelo ex-governador, ex-deputado e ex-ministro Waldir Pires; pelos vereadores Vânia Galvão, de Salvador; Idalina Gonçalves, de Urandi, no Sudoeste; Antônio Gomes, de Itamaraju, no Extremo Sul; e Jorge Gonçalves, presidente da Câmara Municipal de Serrinha; pelo ex-diretor-geral do Instituto Anísio Teixeira e secretário de Comunicação da Prefeitura de Vitória da Conquista, professor Penildon Silva Filho; e pelo prefeito de Camaçari, Luiz Caetano, todos correligionários do anfitrião.

Embora esteja programada para iniciar pontualmente às 9 h, a plenária começou com uma hora de atraso devido à chegada de comitivas do interior. Nos instantes que precederam os discursos, foram exibidos o emocionante documentário Mano Emiliano, em homenagem ao deputado, e um vídeo publicitário institucional do Partido dos Trabalhadores (PT), cujo eixo temático era a mobilização e o engajamento popular na esperança de um Brasil mais decente.

Waldir, com quem Emiliano José mantém uma amizade de longa data, é considerado, nos dizeres do anfitrião, "mestre, companheiro e liderança". O parlamentar, também jornalista, escritor e professor, compreendeu a importância do significado das plenárias petistas como um simbolismo extraordinário.

Segundo ele, o mandato encontra-se diretamente vinculado às aspirações democráticas e libertárias. "O mandato não é algo que dependa da performance individual do mandatário; isso depende do povo", salienta. Em menos de um ano de mandato, o petista proferiu, na legislatura vigente, 118 pronunciamentos. "Quando é que nós estamos? Em que mundo o mandato está?", questiona.

No Parlasul

Na sexta-feira passada (2), em Montevidéu, capital do Uruguai, Emiliano tomou posse como membro de uma bancada de 37 parlamentares da Representação Brasileira no Parlamento do Mercosul (Parlasul), sendo o único representante eleito pelo estado da Bahia a integrá-lo.

O deputado discutiu o problema das crises econômicas europeia e estadunidense, que têm como gênese as mesmas receitas neoliberais. "Nós não temos lições a receber dos Estados Unidos e da Europa", afirma. Quanto à América Latina, o continente vive hoje um momento singular da sua história, com governos reformistas, progressistas ou de esquerda, preocupados em "distribuir renda, gerar empregos e melhorar a vida dos povos". Dentre os países latino-americanos, o Brasil está vivenciando uma conjuntura rica e extraordinária de sua existência.

"Ainda há léguas a percorrer e enfrentar os desafios sociais que nós temos", diz Emiliano, que cogitou na plenária uma possível reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) e também uma virtual recondução do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Planalto. Conforme o parlamentar, o Estado brasileiro possui o dom de conter cotidianamente os escândalos de corrupção.

PT em números

Emiliano José frisa que o PT detém atualmente 90 dos 513 deputados federais e, em âmbito baiano, 14 dos 63 deputados estaduais e 81 dos 417 prefeitos. Para contribuir decisivamente na reeleição de Dilma e na constituição de uma maioria governista no Congresso Nacional, é necessário alargar o horizonte político da legenda. "Cada canto da Bahia tem companheiros que estão fazendo isso", pondera o deputado.

Dois exemplos fantásticos de gestões petistas foram citados pelo anfitrião: Vitória da Conquista, cuja bem-sucedida continuidade do partido no poder local há 15 anos gerou expressivo dinamismo social, sobretudo nas áreas de educação e saúde, e a pequena cidade de Pintadas, onde o PT está no quarto mandato consecutivo. No caso de Conquista, o condutor da plenária acredita na provável renovação do mandato do atual prefeito Guilherme Menezes.

"Todo mundo tem que se dedicar a elaborar um projeto, um plano de voo, para administração", declara. Para Emiliano, é preciso fazer da política um instrumento viável para os sonhos de mudanças na vida das pessoas.

Vitória surpreendente

Segundo orador da plenária, Waldir Pires, discursando com lucidez e brandura, ressalta que a candidatura do seu amigo no pleito de 2010, por ser "uma coisa indispensável para a Bahia e o Brasil", resultou em uma vitória surpreendente e afirmativa. O ex-governador (1987-1989) qualifica Emiliano como um dos deputados mais influentes e honestos no cenário nacional. "A minha geração é uma geração inteira, antes de Emiliano, mas ele é o símbolo desta sucessão", observa Waldir.

A política, de acordo com ele, consiste em poder transformar a sociedade e o mundo utilizando-se de diálogos e construir um caminho de solidariedade. Durante muito tempo, o poder da humanidade era praticamente físico, e a tarefa da mulher surgiu para perpetuá-lo. "A tranquilidade com que a mulher conversa é infinitamente superior que a do homem", filosofa o político, com seus 85 anos bem dispostos.

Waldir ainda recordou, no auditório, duas situações emblemáticas de sua trajetória. Quando era ministro da Previdência, no governo do hoje senador José Sarney (PMDB), a pasta encerrou o exercício de 1985 com um superávit de Cr$ 2 trilhões no caixa. Como titular da Controladoria-Geral da União e do Ministério do Controle e da Transparência, já com Lula no poder, ele colaborou na implantação de um aparelhamento eficaz no combate à corrupção.

Então deputado federal pelo PSDB e postulante da legenda a uma vaga no Senado, Waldir estava junto com Lula em Ibotirama, no Oeste do estado. Era 2 de julho de 1994, Dia da Independência da Bahia, e Lula detinha 44% das intenções de voto. Mas, dois meses depois, o líder petista encolheu nas pesquisas de opinião pelos fatores positivos do Plano Real, que alavancou facilmente a ascensão de seu mentor, Fernando Henrique Cardoso (PSDB), à Presidência da República no primeiro turno.

O prefeito de Camaçari e presidente da UPB, Luiz Caetano (PT), considerou o ex-governador e ex-ministro como um "patrimônio" e vem acompanhando o mandato de Emiliano, que qualifica o povo baiano. "O nosso partido consegue capitalizar o que nós estamos fazendo", persuade Caetano, o mais aclamado entre todos os oradores do encontro.

Dentre os benefícios conquistados pelos sucessivos governos do PT no Nordeste, segundo o gestor do município da Grande Salvador, estão o crescimento da classe média e do poder aquisitivo da população. Com o intuito de dar sustentabilidade e consistência a esse projeto, o partido deve eleger no mínimo 1 vereador por município. "É preciso ganhar e vencer a diferença. É preciso ganhar e vencer a transformação em cada canto", certifica.

Sorteio de livro

No final da plenária, Carlos Marighella Filho foi convidado por Emiliano José para integrar a mesa. O filho do ilustre líder revolucionário baiano e herói do povo brasileiro, assassinado covardemente pela ditadura em 4 de novembro de 1969 na cidade de São Paulo, comandou o sorteio de 20 exemplares do livro Carlos Marighella: o inimigo número um da ditadura militar, escrito pelo deputado em 2004. A obra, publicada pela editora paulistana Casa Amarela, está em sua quarta edição.

"Ele (Carlos Marighella) dedicou a sua vida à perspectiva de libertar o Brasil", sintetiza Marighella Filho, que exerceu uma legislatura na Assembleia Legislativa da Bahia pelo PMDB, entre 1983 e 1987. A luta de Marighella, um "grande brasileiro", serve para inspirar o espírito da juventude, além de mobilizar a sociedade por seus ideais. "Emiliano honra a trajetória dos companheiros da velha guarda, e é uma expressão da família que luta pelo resgate da história de Marighella", profere o herdeiro do ícone comunista.

Os exemplares da biografia do líder revolucionário, que neste ano faria 100 anos, foram autografados pelo anfitrião logo após serem sorteados. Pré-candidato petista à Prefeitura de Salvador no próximo pleito, Nelson Pelegrino chegou ao auditório nos instantes finais. O deputado federal, coordenador da bancada baiana na Câmara, foi recepcionado por populares e se encontrou brevemente com seu aguerrido colega de plenário.

Encontro aborda temas da Copa em Salvador

Tendo a inclusão social como foco, o III Fórum Bahia Copa 2014 será promovido na próxima segunda-feira em hotel de Stella Maris, objetivando aprofundar as discussões inerentes ao torneio de futebol na Bahia

Com informações da assessoria de comunicação da Secopa

Logomarca do III Fórum Bahia Copa 2014

Portadores de deficiência e idosos ambicionam expandir seu espaço privilegiado durante a Copa do Mundo de 2014, que está sendo organizada em território brasileiro após 1950, tendo Salvador como uma das cidades-sede contempladas. A inclusão, especificamente para essas parcelas da população, foi escolhida, portanto, como abordagem do III Fórum Bahia Copa 2014, cujo mote - Por uma Copa inclusiva - preconiza a necessidade de inserção social no período do campeonato.

O encontro, neste ano, acontecerá na próxima segunda-feira (11), no auditório do Gran Hotel Stella Maris, das 8 às 18 h. Representantes governamentais das esferas federal, estadual e municipal, autoridades e membros da sociedade civil, entre outros, terão assento reservado para a ocasião, que além da acessibilidade, serão debatidas temáticas importantes como economia criativa e solidária, relação da TV e imprensa em grandes eventos internacionais, estratégias de branding e a experiência dos Jogos Olímpicos de Londres 2012.

Concebido e organizado pela Secretaria Estadual para Assuntos da Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014 (Secopa), o III Fórum Bahia Copa 2014 tem como objetivo central promover a discussão permanente dos temas vinculados à maior competição de futebol do planeta na Bahia. Nessa perspectiva, serão apresentados um balanço das ações realizadas pelo governo do estado e pela prefeitura de Salvador e as melhores práticas nacionais e internacionais na organização de megaeventos esportivos.

Também entrarão na pauta do dia a divulgação de ações e projetos prioritários, previamente definidos para o Programa Copa 2014 na Bahia, através do Plano Diretor, bem como a dos novos projetos e ações, incorporados à versão original do programa especial; o êxito de alguns países em Copas do Mundo e Olimpíadas; e a reflexão sobre as questões de inclusão social e acessibilidade nesses eventos, propondo consolidar um Mundial mais inclusivo.

De cunho participativo

A fim de congregar segmentos heterogêneos da sociedade, 13 palestrantes brasileiros e estrangeiros estarão presentes nas dez horas de debate. Dentre eles estão o ex-ministro do Esporte do Reino Unido, Richard Caborn, que irá conduzir a palestra "A experiência de organização dos Jogos Olímpicos de Londres 2012", o músico e ex-baterista do grupo de rock O Rappa, Marcelo Yuka, num painel específico no que tange à acessibilidade, os jornalistas esportivos Jorge Luiz Rodrigues e Paulo Vinícius Coelho, e o gestor do Escritório Municipal da Copa e assessor de Relações Internacionais da prefeitura, Leonel Leal.

Baseando-se no tema inclusão, será realizado um fórum diferente das duas edições anteriores, ocorridas em 2009 e em 2010, com 4 painéis temáticos e 3 palestras em seu conteúdo programático. No que se refere ao receptivo, o encontro terá cadeirantes e idosos na plateia, tradução para deficientes auditivos e de fala, folders impressos em alfabeto braile e piso tátil que se estenderá da entrada do hotel até o auditório.

É esperado para esta segunda-feira um contingente de 700 participantes no público-alvo, incluindo representantes das instâncias governamentais federal, estadual e municipal de Salvador; de empresas do ramo esportivo; de patrocínio; de eventos; de instituições sociais e educativas; de bancos de fomento; investidores; técnicos e especialistas da área esportiva de alta performance, educacional e de participação; coordenadores das 12 sedes e potenciais sub-sedes da Copa de 2014; atletas e profissionais da imprensa.

De acordo com a assessoria de comunicação da Secopa, o III Fórum Bahia Copa 2014 será um evento democrático que proporcionará todas as condições necessárias para expor propostas, intercambiar experiências e assegurar as articulações entre os governos e os diversos entes econômicos e sociais atuantes na Região Metropolitana de Salvador e nos demais polos turísticos baianos.

Serviço

Evento: III Fórum Bahia Copa 2014

Data e horário: 12/12 (segunda-feira), das 8 às 18 h

Local: Gran Hotel Stella Maris - Praça de Stella Maris, 200, Stella Maris

Atenção: Inscrições encerradas

Programação

7:30 - Abertura para credenciamento com Welcome Coffee Break

8:30 - Abertura

9 h - Painel "Balanço e perspectivas do Programa Copa 2014 na Bahia"

10 h - Painel "Acessibilidade na Copa: Superando barreiras"

11:30 - Painel "Projetos municipais para a Copa 2014"

12:30 - Almoço

13:30 - Palestra "A experiência de organização dos Jogos Olímpicos de Londres 2012"

14:45 - Painel "Relação com TV e imprensa em grandes eventos internacionais"

16 h - Coffee Break

16:15 - Palestra "Economia Criativa e Solidária: Um novo fomento à exportação cultural"

17 h - Palestra "Estratégias de branding: Como posicionar sua marca neste novo cenário esportivo"

19 h - Show de encerramento

Palestrantes

Ângela Carneiro da Cunha - Arquiteta e urbanista

Fábio Laudísio - Gerente de Esportes e Eventos da Agência Fifa (conta Sony) e gerente de marketing da Sony para as ações da Copa do Mundo 2014

Hélio Viana - Ex-secretário-executivo do Ministério dos Esportes (1995 a 1998)

Jorge Luiz Rodrigues - Jornalista dos canais Premiere Futebol Clube e PFC Internacional, ambos da Globosat

Lauro Ramos - Diretor técnico do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae)

Leonel Leal - Gestor do Escritório Municipal da Copa do Mundo da Fifa 2014 (Ecopa) e assessor de Relações Internacionais da Prefeitura de Salvador

Marcelo Yuka - Músico, ex-baterista do grupo O Rappa

Maurício Magalhães - Sócio-presidente da Agência Tudo

Mike de Vries (Alemanha) - Consultor internacional para as Copas de 2006 e 2010

Ney Campello - Secretário Estadual para Assuntos da Copa do Mundo da Fifa Brasil 2014

Paulo Vinícius Coelho - Comentarista esportivo do canal ESPN Brasil e colunista do jornal O Estado de S. Paulo

Regina Cohen - Arquiteta

Richard Caborn (Reino Unido) - Ex-ministro do Esporte do Reino Unido

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Anunciada a próxima temporada timbaleira

Ensaios da Timbalada para o verão e o Carnaval de 2012 começarão no dia 8 de janeiro, sempre no Museu du Ritmo, com novidades para os eternos fãs do grupo

Com informações de A Tarde Online e do Ibahia

Denny Silva, vocalista da banda, diz que seus fãs estão aguardando novidades logo na primeira noite, como músicas inéditas
(Foto: Divulgação)

Os próximos ensaios de verão da Timbalada, que atraem milhares de admiradores ao Museu du Ritmo, no Comércio, já têm data confirmada para a sua estreia: 8 de janeiro, domingo. Em 2012, a banda percussiva criada pelo cantor, compositor e multi-instrumentista Carlinhos Brown alcançará a maioridade, completando 21 anos de uma trajetória sólida.

Conforme o vocalista Denny Silva, em entrevista para o portal A Tarde Online, os apreciadores estão na expectativa para conferir a primeira noite de shows, aguardando "novidades sempre, músicas inéditas, os grandes sucessos que marcaram esses 21 anos de história, energia superpositiva e momentos de alegria pra guardarem pro resto da vida".

Aposta para o verão

Para a alta estação, a Timbalada traz a nova música de trabalho, o samba GuanaBarra, de autoria de Brown, já tocando nas emissoras de rádio de Salvador. A poética letra da canção mistura referências cariocas e soteropolitanas, como no verso "Minha Garota de Ipanema é da Barra", alusão à antológica Garota de Ipanema, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes.

Em breve o clipe de GuanaBarra, recém-finalizado, será disponibilizado no site oficial da banda, nas redes sociais (Orkut, Twitter, Facebook) e no canal oficial do Youtube. O vídeo, que teve a participação especial da atriz baiana Nanda Lisboa, contemplou locais formosos da cidade, incluindo o Candeal e, lógico, o Farol da Barra, bairro citado na letra da promessa da Timbalada para o Carnaval.

Clipe da nova música de trabalho, GuanaBarra, contou com a participação da atriz Nanda Lisboa (à direita) e brevemente estará à disposição dos timbaleiros
(Foto: Divulgação)

Além dos shows no Museu du Ritmo, Denny e sua caravana de 17 músicos também vai subir no palco de outros artistas até a folia momesca, como de praxe. "É comum participarmos dos ensaios das bandas, cantores amigos, parceiros, bem como recebê-los em nossa casa. Eu acho superbacana. O verão está na porta e os ensaios estão só começando", declara o cantor.

Serviço - Ensaio da Timbalada

Data e horário: 08 de janeiro de 2011 (domingo), a partir das 18 h

Local: Museu du Ritmo - Avenida Jequitaia, 1, Comércio (Antigo Mercado do Ouro)

Valores dos ingressos: R$ 70 (pista) e R$ 150 (camarote)

Ponto de vendas: Sede da Timbalada - Alameda Benevento, 113, Parque Júlio César, Pituba

Ouça GuanaBarra no vídeo abaixo


Uma noite elegante e nostálgica no Villa Lobos

Pela primeira vez, o Unijorge na Moda, que na noite da quinta-feira passada (1º) chegou em sua quinta edição, se deslocou do Campus Paralela para a quadra de esportes do Colégio Villa Lobos, buscando incrementar a estrutura e a capacidade de recepção. Foi um momento memorável, partindo do tema do evento, "Relicário: Lembrando Jogos, Vivendo a Vida", e da sua concepção, totalmente inspirada nas manifestações da infância e da juventude.

Cerca de 300 pessoas presenciaram o desfile, que contou, de quebra, com a apresentação musical do cantor e compositor baiano Tom Black, radicado no Rio de Janeiro e vice-campeão da temporada 2010 do reality show Ídolos, transmitido pela TV Record. Realizado pelo Curso Superior de Tecnologia (CST) de Design de Moda da Unijorge, tendo como coordenadora a inoxidável mestra Suzana de Almeida, o 5º Unijorge na Moda levou para a passarela 23 modelos, incluindo duas adolescentes.

Observe a seguir os melhores momentos do desfile, perfeita combinação de elegância e nostalgia, registrados fotograficamente nesta página para a posteridade. Mais do que um sucesso, um absolutíssimo recorde de público!

Esquema, em tecidos, de uma das brincadeiras mais populares entre os baixinhos: a amarelinha
(Foto: Hugo Gonçalves)

A quadra do Colégio Villa Lobos ficou elegante demais para acolher o desfile: aproximadamente 300 pessoas compareceram
(Foto: Hugo Gonçalves)

Modelos exibiram coleções inéditas para a primavera/verão 2011/2012
(Foto: Hugo Gonçalves)

Revelação da black music nacional, Tom Black soltou sua pulsante voz no tapete vermelho durante os intervalos do desfile
(Foto: Hugo Gonçalves)

No backstage, enquanto os modelos se prepararam para entrar na passarela, um clima especialíssimo de confraternização!
(Foto: Hugo Gonçalves)

Professora Carina Silveira, uma das incentivadoras do Unijorge na Moda
(Foto: Hugo Gonçalves)

Pela segunda vez, tive o entusiasmo ilimitado de cobrir este maravilhoso e gratificante evento de periodicidade semestral do início ao fim, em uma única noite repleta de brilhantismo, cintilação e puro charme. Confira também a cobertura completa na minha reportagem 5º Unijorge na Moda faz o público reviver a infância. A matéria, bem formulada e com riqueza de informações, está disponível neste endereço e no portal da instituição, para quem quiser revê-la. Até 2012!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

5º UNIJORGE na Moda faz o público reviver a infância

Sentimentos nostálgicos que remetem aos tempos de criança foram trazidos para a passarela da quadra do Colégio Villa Lobos, onde também apresentou as novidades para a alta estação

Hugo Gonçalves – Estudante do 6º Semestre de Jornalismo do Centro Universitário Jorge Amado (UNIJORGE)

Todo o universo das brincadeiras e dos jogos infanto-juvenis tradicionais esquecidos em tempos de globalização e de novas tecnologias foi rememorado na quinta edição do UNIJORGE na Moda, promovido pelos alunos do 4º Semestre do Curso Superior de Tecnologia (CST) de Design de Moda da instituição. Ao contrário dos semestres anteriores, o desfile ocorreu na noite desta quinta-feira, dia 1º de dezembro, na quadra de esportes do Colégio Villa Lobos, anexo ao Campus Paralela do centro universitário.

O UNIJORGE na Moda tem o propósito de potencializar a formação acadêmica do corpo discente, associando-a à sua qualificação e inserção no mercado de trabalho e às atividades práticas cotidianas do profissional de moda. Além disso, põe em evidência a qualidade dos profissionais graduados e suas produções, o empreendedorismo, a bagagem cultural, suas competências e habilidades e seu comprometimento, visando o lançamento de novos talentos baianos do ramo.

Um público estimado em aproximadamente 300 espectadores compareceu ao evento interdisciplinar semestral. A coordenadora dos cursos de Design da UNIJORGE, Suzana de Almeida, justifica que o desfile de moda foi transferido para a quadra do Villa Lobos em razão do conforto e de uma melhor estrutura de acomodação. "O evento tem aumentado de público a cada semestre, pois o número de pessoas não comportava nos prédios 1 e 2 (da UNIJORGE Paralela)", justifica Suzana.

Na opinião da coordenadora, a iniciativa, que desde a sua primeira edição, em 2009, tem servido de laboratório para eles próprios apresentarem suas tendências inovadoras ao mercado, bem como à comunidade acadêmica, foi considerada um sucesso, "com destaque especial para as coleções dos alunos".

As peças de vestuário apresentadas pelos 23 modelos - 21 homens e mulheres e duas adolescentes - foram elaboradas sob a orientação da professora Carina Silveira, a começar pelo viés teórico aplicado aos alunos. "Eles aprenderam a escrever o projeto de um evento desde a captação de recursos, a estrutura, a promoção, a produção de cabelo e maquiagem e a execução. No final da disciplina, colocam a teoria em prática através do desfile", elucida a docente, principal idealizadora do evento.

De volta ao passado

O tema, "Relicário: Lembrando Jogos, Vivendo a Moda", tinha como intenção trazer para a passarela uma atmosfera de nostalgia de uma época em que a vivência do exercício lúdico era mais próxima do ser humano, conforme declara a estudante Elizângela Almeida. "Havia mais integração, a brincadeira era mais presencial. Não que a tecnologia seja ruim, mas ela faz com que não haja contato", explica Elizângela, uma das integrantes da equipe de casting, responsável por preparar modelos e organizar as roupas para a passarela.

Com referências extraídas de elementos meramente infanto-juvenis, como alguns jogos e brinquedos (amarelinha, peteca, dado, cavalinho, pipa e pião), a decoração, inspirada na temática, mereceu ênfase no 5º UNIJORGE na Moda. "A gente pegou coisas que lembram a infância, com cores bem fortes", explica a estudante Nayara de Carvalho, que colaborou na produção.

Mestre de cerimônias, a estudante Misna Magalhães deu início ao evento, com duas sinceras adolescentes desfilando no tapete vermelho montado na quadra ao som da versão instrumental da cantiga de roda Se essa rua fosse minha. Segundo a estudante Thaís Nogueira, esta música, assim como todas as outras que foram executadas no desenrolar do desfile, foram especialmente adaptadas para a oportunidade em versões instrumentais e remixadas.

O músico, cantor e compositor Tom Black, vice-campeão da temporada 2010 do reality show Ídolos, da TV Record, animou a plateia nos intervalos. No repertório, autenticamente nostálgico, o baiano entoou canções que marcaram diferentes gerações, como Manuel, funk que revelou o então adolescente carioca Ed Motta em 1988, e dois clássicos da década de 1970: Fio Maravilha (1972), de Jorge Ben, e A lua e eu (1975), de Cassiano, um dos ícones do soul music brasileiro, ao lado de Tim Maia (1942-1998) e Hyldon.

"É uma honra estar participando de um grande evento, bem organizado, com credibilidade", orgulha-se Tom Black, referindo-se à sua participação no 5º UNIJORGE na Moda. Para o cantor, que se mudou para o Rio de Janeiro devido à multiplicidade cultural existente na Cidade Maravilhosa, "a Bahia tem uma diversidade musical, mas é meio limitada no segmento black music."

Novas coleções

Dois futuros estilistas, ambos estudantes do 4º Semestre de Design de Moda, apresentaram na passarela suas respectivas coleções de vestimentas, visando ao período primavera/verão 2011/2012. Retratando com fidelidade o panorama da infância, a coleção "Intuição", concebida por Rosimeire Ferreira, proprietária da grife DR Fashion Design, tem como atributos os cortes despojados, as estampas liberty, com flores pequenas, e as tonalidades pastéis e nudes (beges) com pinceladas de azul, rosa, verde e amarelo.

Finalizando o 5º UNIJORGE na Moda, Jardel Abade lançou "Escultura Moderna", baseada nas tradições de Atenas e nas silhuetas da estilista grega Madame Grès. Os modelos que usaram peças de vestuário dessa coleção se desfilaram ao som da versão instrumental eletrônica de Atirei o pau no gato e do remix de Escravos de Jó. Em seguida, Tom Black mandou bem no bis de Manuel enquanto todos os membros da equipe de produção dançaram sobre a passarela montada na quadra do Colégio Villa Lobos.

A grande surpresa do evento de moda foram as lembrancinhas, distribuídas para os convidados na forma de kit de costura, conforme pontua a estudante Lara Patrícia, líder da equipe de promoção do desfile. "Levantamos alguns patrocinadores, divulgamos o UNIJORGE na Moda com um blog e tentamos organizar uma lista de convidados seletos", observa Lara.

Disponível em: http://www.unijorge.edu.br/noticia_exibir.asp?cod=804. Acesso em: 5 dez. 2011.