terça-feira, 16 de agosto de 2016

Como as ideias de cada artista são expressas em seus próprios carros


Graças a suas diferentes personalidades, muitos artistas se sentem livres para alterar seus respectivos veículos, refletindo suas ideias individuais. Acima, um Mercedes Pens sendo exibido na edição de 2009 do Art Car Festival em San Francisco, na Califórnia. Trata-se de um Mercedes-Benz 100SD 1981 artisticamente modificado por Pen Guy, pseudônimo de Costas Schuler, artista estadunidense nascido na Grécia, cujo exterior é decorado com centenas de canetas recicladas
(Foto: The Brocken Inglory – 2009)

Em um mundo onde a liberdade de expressão é um elemento essencial nas vidas de cada um, artistas podem expressar suas próprias características através da modificação de veículos antigos e até mesmo novos – os chamados carros artísticos (em inglês, art cars). Além de automóveis de passeio, vans, ônibus, caminhões e caminhonetes, geralmente usados, podem sofrer transformações consideráveis que refletem as preferências pessoais dos artistas. Vários veículos usados, mesmo sendo novos, precisam ser alterados não apenas em seu exterior, mas também dentro deles, de modo que fiquem mais atraentes.

Para elaborar carros artísticos, o exterior é muitas vezes alterado radicalmente, sendo decorado, pintado, ou mesmo esculpido na forma de um animal ou um monstro, por exemplo. Entretanto, artistas geralmente configuram o interior de seus carros mudando alguns itens, como bancos traseiros e dianteiros, e decorando os painéis, além da instalação de novos equipamentos e/ou motores.

Muitos artistas, graças a suas diferentes personalidades, valem-se da sua liberdade para modificar seus respectivos veículos e expressar suas próprias ideias nessas maravilhas da paisagem urbana. Por exemplo, pessoas podem transformar um Fusca em qualquer inseto, como uma barata, um besouro ou uma mosca; e podem mudar o aspecto de uma van como uma Mercedes-Benz Sprinter, fazendo dela um cavalo ou um camelo. Além disso, artistas que trabalham em seus art cars podem ainda expressar publicamente seus pensamentos, virtudes e valores individuais.

Uma das ideias positivas disseminadas com frequência nos carros artísticos é a liberdade de viajar de um lugar para outro temporariamente, o que leva a experienciar uma vida nômade. Outra característica comum, facilmente encontrada em carros femininos artisticamente modificados, é a vaidade, devido ao fato de as mulheres serem tão orgulhosas de sua própria beleza, amor, inteligência, felicidade e outras boas qualidades que provavelmente as tornam mais vaidosas que os homens.

Enquanto algumas pessoas acham que os carros artísticos apresentam uma aparência estranha, aqueles que os apreciam pensam que eles são bonitos e muito atrativos para ruas e avenidas. Existem diferentes modelos de veículos dessa natureza que podem soar excêntricos, como certas espécies de animais e objetos. Todavia, pessoas que admiram os carros artísticos creem que essas criaturas ambulantes são magníficas obras de arte transitando por cidades em todo o mundo.

P. S.: Este artigo é uma tradução feita por este jornalista do original em inglês, How each artist's ideas are expressed in their own cars, também redigido por este jornalista.

How each artist's ideas are expressed in their own cars


Thanks to their different personalities, most artists feel free to alter their respective vehicles, reflecting their individual ideas. Above, a Mercedes Pens being exhibited in the 2009 Art Car Festival in San Francisco, California. It's a 1981 Mercedes-Benz 100SD artistically modified by Pen Guy, pseudonym of Costas Schuler, a Greek-American artist, whose exterior is decorated with thousands of recycled pens
(Photo: The Brocken Inglory – 2009)

In a world where the freedom of expression is an essential element in each one's lives, artists can express their own characteristics by modifying old and even new vehicles – the so-called art cars. Aside from automobiles, vans, buses, and trucks, generally used, may get into considerable transformations that reflect the artists' personal preferences. Several used vehicles, although being new, need to be altered not only in their exterior, but also inside them, to be more attractive.

To make art cars, the exterior is often radically changed, being decorated, painted, or even sculpted as an animal or a monster, for example. However, artists usually configurate the inside of their cars by changing several items, such as back and front seats, and decorating the panels, besides the installation of new equipment and/or engines.

Many artists, thanks to their different personalities, have freedom to modify their respective vehicles and express their own ideas in these wonders of the urban landscape. For example, people can transform a Volkswagen Bug into any insect, such as a cockroach, a beetle, a fly, etc., and they also can change the shape of a van like a Mercedes-Benz Sprinter, making it a horse or a camel. Besides, artists who work on their art cars also can express their individual thoughts, virtues, and values in public.

One of the positive ideas frequently spread in art cars is the freedom of traveling from a place to another temporarily, that leads to experience a nomadic life. And another common characteristic, easily found in women's artistically modified cars, is the vanity, because the fact that most women believe to be too proud of their own beauty, love, intelligence, happiness, and other good qualities that probably make them vainer than men.

While some people think art cars have a strange appearance, those who appreciate them think they're beautiful and very attractive for streets and avenues. There are different models of art vehicles that can sound eccentric, like certain kinds of animals and things. However, people who enjoy art cars believe these walker creatures are magnificent artworks walking in cities and towns all over the world.

Comunicado de retorno às atividades jornalísticas

Prezados leitores,

Em comemoração ao aniversário deste jornalista, ocorrido no último domingo (14), finalmente comunicamos, após quase oito meses sem atualizar este blog, o esperado retorno deste artífice da informação e da credibilidade às atividades na condição de redator e editor responsável, continuando a publicar textos de diferentes categorias.

Também aproveitamos a oportunidade de anunciar a todos os admiradores desta página uma novidade fantástica. Trata-se do fato de que, a partir de hoje, estamos disponibilizando paulatinamente artigos redigidos em inglês, seguidos por suas respectivas traduções para o português. As versões em ambos os idiomas serão redigidas por este jornalista.

A ideia de publicar textos na língua inglesa neste blog surgiu da importância de facilitar a comunicação entre indivíduos de múltiplas nacionalidades e culturas, uma vez que estamos imersos em um mundo globalizado e passível de constantes mutações em todas as esferas da nossa vida cotidiana.

Salvador, 16 de agosto de 2016.

Hugo Gonçalves
Jornalista autônomo, registrado na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego na Bahia (SRTE-BA) sob o número 4507.