quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Edital do concurso do INSS é divulgado

Certame preencherá um total de 950 vagas para cargos de níveis médio e superior; inscrições terão início em 4 de janeiro, apenas pela internet


Após sua aprovação e homologação, candidatos serão chamados para escolher Agência da autarquia onde serão lotados
(Foto: Joá Souza/Agência A Tarde)

Finalmente, depois de um ano de longa espera, o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) lançou o edital de abertura do seu concurso público com 950 oportunidades para cargos de níveis médio e superior para o quadro de pessoal da autarquia. De acordo com o documento, divulgado nesta quarta-feira (23), serão preenchidas 800 vagas para Técnico do Seguro Social, cujo requisito é o nível médio completo, e 150 vagas para Analista do Seguro Social, que exige formação em Serviço Social.

As oportunidades serão destinadas para todos os 26 estados brasileiros, incluindo a Bahia, e para o Distrito Federal. Sobre as remunerações, nas quais estão inseridos o vencimento básico, a Gratificação de Atividade Executiva (Gae) e a Gratificação de Desempenho de Atividade do Seguro Social (Gdass), os candidatos receberão R$ 4.886,87 para nível médio e R$ 7.496,09 para superior. A jornada de trabalho é de 40 horas semanais para ambos os cargos.

Segundo o subitem 4.2 do edital, aqueles que serão aprovados e homologados no concurso dentro da quantidade de vagas ofertadas serão convocados, conforme a sua classificação, em data oportuna, após o resultado final no certame, para a escolha da Agência da Previdência Social onde serão lotados, dentro da Gerência-Executiva selecionada no momento da inscrição, observando os critérios e procedimentos a serem definidos em ato específico.

Das vagas destinadas a cada cargo ou gerência-executiva do INSS e das que vierem a ser criadas durante o prazo de validade do concurso – que corresponde a um ano, contado a partir da data da homologação da publicação do resultado final, prorrogável uma única vez, por igual período – 5% serão reservadas para pessoas com deficiência e 20% para negros. Haverá apenas reserva imediata de vagas para os candidatos com deficiência e aqueles que se autodeclararem pretos ou pardos com número de vagas igual ou superior a 5 (cinco) ou a 3 (três), respectivamente.

Inscrições e provas

As inscrições serão efetuadas somente na internet, através da página do Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), vinculado à Universidade de Brasília (UnB), organizador da seleção, no período compreendido entre as 10 horas do dia 4 de janeiro de 2016 e as 23h59 do dia 22 de fevereiro de 2016, observado o horário oficial da capital federal. Quanto às taxas, os interessados deverão pagar, até 18 de março, os valores de R$ 65 para nível médio e de R$ 80 para nível superior.

No que tange às provas objetivas, de caracteres eliminatório e classificatório, elas serão aplicadas na data provável de 15 de maio de 2016, nos turnos da manhã (para nível superior) e da tarde (para nível médio), com duração de 3 horas e 30 minutos, conforme fixado no edital. As avaliações terão, para ambos os cargos, 50 questões de Conhecimentos Básicos e 70 questões de Conhecimentos Específicos. Cada questão equivale a um item, para que o candidato possa julgá-lo como certo ou errado.

domingo, 13 de dezembro de 2015

Salvador recebe da Unesco título de Cidade da Música

Com reconhecimento da entidade, capital baiana, prestigiada por sua fantástica ritmicidade, passa a integrar a Rede de Cidades Criativas, que promove a cooperação internacional entre metrópoles

Com informações do jornal Correio* e do portal G1 Bahia

Salvador também se tornou a segunda cidade latino-americana agraciada no segmento musical; pioneira é Bogotá, na Colômbia
(Foto: Arisson Marinho/Arquivo Correio*)

As múltiplas sonoridades, as festas e os artistas talentosos que constituem o nosso híbrido panorama rítmico fizeram com que Salvador fosse agraciada com o título de Cidade da Música. Concedido nesta sexta-feira (11) pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o reconhecimento fez da capital baiana a primeira cidade brasileira – e a segunda na América Latina – a ostentá-lo.

O honroso título, lançado em julho deste ano pela administração municipal mediante candidatura, faz parte da Rede de Cidades Criativas, iniciativa da Unesco que objetiva promover a cooperação internacional entre as metrópoles, baseada em três vetores: o desenvolvimento urbano sustentável, a inclusão social e a expansão da influência cultural no mundo.

Além da música, a Rede congrega outras seis áreas temáticas – artes midiáticas, artesanato e artes folclóricas, design, filme, gastronomia e literatura. Em âmbito nacional, Salvador se tornou o primeiro município a ser contemplado com o título de Cidade da Música e, consequentemente, a terceira cidade a ingressar na Rede de Cidades Criativas. Desde 2014, Curitiba (PR) e Florianópolis (SC) já têm o mérito do projeto nos segmentos do design e da gastronomia, respectivamente.

Na América Latina, a primeira capital do Brasil é a segunda a ser reconhecida como Cidade da Música, sendo nomeada após Bogotá, capital da Colômbia. Assim como Salvador, Brasília também teve sua candidatura homologada, mas acabou sendo excluída da honraria. Simultaneamente à nomeação soteropolitana, a cidade litorânea de Santos, em São Paulo, recebeu da Unesco o título de Cidade do Filme, enquanto Belém do Pará foi agraciada Cidade da Gastronomia.

“Agora, a poucos dias do Réveillon e do Carnaval, eventos essencialmente musicais, nada melhor do que sermos contemplados com o título por uma entidade tão importante como a Unesco”, declarou, em nota, o prefeito ACM Neto (DEM). “Os cantores, instrumentistas, compositores e todos que estão envolvidos com a música merecem este título porque levam a nossa história e cultura para o mundo”, concluiu, orgulhoso.

“Todos que estão envolvidos com a música merecem este título porque levam a nossa história e cultura para o mundo”, disse ACM Neto (à direita, ao lado de Carlinhos Brown, padrinho da campanha pelo reconhecimento)
(Foto: Reprodução/Instagram – 24/07/2015)

Investimentos

Projeções da prefeitura demonstram que a honraria recém-concedida possa auxiliar na injeção de grandes investimentos no campo da economia criativa, além de impulsionar o turismo, uma vez que cidades criativas provavelmente sejam consideradas destinos turísticos mais competitivos. Além de Salvador, outras 16 cidades, como Kingston, na Jamaica, Liverpool, no Reino Unido, e Sevilha, na Espanha, já carregam o título de Cidade da Música.

O gestor do Escritório Salvador Global – incumbido da inclusão da capital baiana no rol das Cidades Criativas –, Jorge Khoury, observou que o reconhecimento possui, além da importância cultural, relevâncias social e econômica. “O título abre espaço para que tenhamos uma projeção internacional ainda maior. Isso atrairá mais turistas e investidores para essa área”, avaliou, em entrevista ao jornal local Correio*.

Graças a essa conquista histórica, a terceira maior metrópole brasileira vai promover intercâmbios com as outras cidades musicais e propiciar a criação de projetos com vocação para a arte. Entre as iniciativas está a implantação do Museu da Música, previsto para ser inaugurado em 2017, conforme Khoury.

Na opinião do secretário municipal de Cultura e Turismo, Érico Mendonça, o reconhecimento dado pela Unesco ampliará horizontes de perspectivas em desenvolver projetos culturais focados na música. “O título reafirma o que nós já sabíamos: que Salvador é uma cidade que respira música e carrega isso em sua história. Com isso, teremos a possibilidade de fortalecer ainda mais o cenário”, persuadiu.

Artistas celebram título

Vários artistas locais também tiveram o privilégio de comemorar o título de Cidade da Música concedido a Salvador. Entre eles está o músico, cantor e compositor Carlinhos Brown, padrinho da campanha pela honraria. “A educação musical também nos coloca numa função de cidade educadora. Então, que tal estudarmos mais, ensaiarmos mais e nos encontrarmos mais para que possamos retomar os nossos tambores às ruas? Façamos dessa cidade a expressão do que ela realmente é”, comentou.

Já a cantora e compositora Daniela Mercury, que considerou legítimo o reconhecimento, avaliou-o como “extremamente justo” e “fantástico” para os soteropolitanos. “A música é a identidade da Bahia, como diria (o famoso escritor baiano) Jorge Amado (1912-2001), e assim como a arte, ela nasce da rua. É na música que a cidade se mostra para o Brasil e para o mundo. São notas que embalam multidões, melodias que inspiram alegria”, celebrou, vitoriosa.

O fundador e presidente do bloco afro Ilê Aiyê, Antônio Carlos dos Santos, o Vovô do Ilê, prevê que o título possa favorecer uma maior valorização da criatividade artística de Salvador. “Espero que, com esse reconhecimento, haja destaque para a diversidade de ritmos e gêneros que são produzidos aqui. São várias as vertentes da nossa musicalidade e a música afro, a música negra, deu uma contribuição muito grande para que isso acontecesse”, frisou o carnavalesco.