terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Luiz Caldas recebe cantoras em ensaio no Fantoches

Em festa que acontece hoje em tradicional reduto carnavalesco soteropolitano, músico convida Maria Gadú e Zélia Duncan
 
Com informações dos portais A Tarde e G1 Bahia
 
No evento, Luiz canta clássicos do Carnaval, além de seus principais sucessos
(Foto: Alê Pinheiro)
 
A segunda edição do ensaio de verão de 2014 do cantor, compositor e multi-instrumentista Luiz Caldas acontece nesta terça-feira (25), a partir das 21 h, no Clube Fantoches. O show, denominado Verão Luiz Caldas, terá como convidadas especiais as cantoras Maria Gadú e Zélia Duncan.
 
Em uma nostálgica noite de gala no secular reduto carnavalesco, situado no Largo Dois de Julho, Centro de Salvador, o músico vai interpretar, no último ensaio antes do Carnaval, releituras de clássicos da festa de Momo e cantar sucessos inesquecíveis que eternizaram seu profícuo itinerário musical.
 
Os ingressos custam R$ 40 (meia) e R$ 80 (inteira), e podem ser adquiridos nos balcões da Ticketmix, localizados nos shoppings Barra, Iguatemi, Paralela e Salvador Shopping. O acesso ao evento é exclusivo para maiores de 18 anos.
 
Na primeira edição do espetáculo, que ocorreu na terça-feira passada (18), Luiz Caldas ciceroneou os cantores Lenine, Carlinhos Brown e Saulo Fernandes e a banda Baiana System. O ciclo de ensaios se encerra com uma ressaca de Carnaval no dia 7 de março, uma sexta-feira.
 
Serviço
 
Ensaio: Verão Luiz Caldas

Atrações: Luiz Caldas, Maria Gadú e Zélia Duncan
 
Data e horário: 25 de fevereiro (terça-feira), a partir das 21 h
 
Local: Clube Fantoches
 
Endereço: Rua Democrata, 10, Largo Dois de Julho
 
Ingressos: R$ 40 (meia) e R$ 80 (inteira)

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Iniciativa pretende melhorar desempenho escolar

Lançado pela prefeitura de São Francisco do Conde, programa Educa Chico propõe a redução da repetência e da evasão, com a inclusão de cerca de 4 mil adolescentes na jornada ampliada
 
Com informações do jornal A Tarde e da assessoria de comunicação da prefeitura de São Francisco do Conde
 
Programa direciona-se a alunos do Ensino Fundamental II, que irão receber bolsas de até R$ 1,2 mil por ano
(Imagem: Reprodução)
 
Com a missão de aprimorar o desempenho educacional dos adolescentes em situação de risco, através da redução dos índices de repetência e evasão escolar e das distorções de ano, série e idade, especificamente em estudantes do turno noturno, a prefeitura de São Francisco do Conde está implantando o programa Educa Chico. O projeto prevê aos alunos do Ensino Fundamental II bolsas anuais que oscilam de R$ 700 a R$ 1,2 mil.

Um contingente estimado em cerca de 4 mil jovens, com faixa etária entre 16 e 20 anos e que frequentam o 6º até o 9º ano, irá participar da jornada ampliada. De acordo com a coordenadora do programa, Ana Chrystina, a ação educativa inclui aulas de Língua Portuguesa, Matemática, Física e Química, acrescentadas às atividades extracurriculares ou lúdicas – dança, música, teatro e esportes –, no turno oposto às aulas regulares.

“É uma forma de incentivar esses jovens a investirem em sua formação, aproveitando as ofertas de atividades oferecidas no cardápio do programa”, ponderou, em entrevista ao jornal A Tarde. A iniciativa foi lançada recentemente, durante a Jornada Pedagógica 2014, promovida pela Secretaria Municipal de Educação (Seduc).

Na acepção da coordenadora, o dinheiro da bolsa (veja abaixo) deverá ser aplicado prioritariamente na formação dos alunos em cursos que poderão auxiliá-los, sobretudo na capacitação tecnológica. O Educa Chico será implementado, a princípio, em quatro unidades do Fundamental II pertinentes à rede municipal de ensino, mas o projeto se estenderá de forma gradual por todas as escolas.
 
De acordo com Rilza, educação é o único mecanismo capaz de trazer oportunidades aos jovens
(Foto: Ascom Prefeitura de São Francisco do Conde)

Município está entre os piores no IDH
 
Distante 83 quilômetros de Salvador, a cidade de São Francisco do Conde lidera a renda per capita entre os municípios do Brasil, calculada em cerca de 300 mil reais por ano. Paradoxalmente, o município de 37 mil habitantes, com 52 escolas em funcionamento, concentra um dos piores Índices de Desenvolvimento Humano (IDHs) do país, amargando a 2.743ª colocação no ranking, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
 
A fim de ajudar a minimizar esse quadro deplorável, a prefeita Rilza Valentim (PT) comemorou o lançamento do programa Educa Chico. “Como educadora, acredito que a educação é a única forma de oferecer oportunidades para os jovens. Fui eleita prefeita e tenho o compromisso de promover a melhoria contínua do ensino público na minha terra”, explicou a gestora.
 
O vigilante Alfredo Gomes, pai de dois adolescentes que estudam na rede municipal, parabenizou a iniciativa, mas reivindica a instalação de escolas em tempo integral na cidade, carente nesse regime instrutivo. “Com certeza vai incentivar os jovens a não faltar à escola. Porém, minha irmã foi obrigada a dispensar um emprego porque não tem com quem deixar a filha de 5 anos”, afirmou, em depoimento à reportagem de A Tarde.
 
Plano assistencialista
 
Dados coletados pela prefeitura informam que aproximadamente 60% dos estudantes da rede pública de ensino são provenientes de famílias assistidas pelo Programa de Acolhimento Social (Pas). Um dos objetivos do plano, realizado pela própria administração municipal, é complementar a renda familiar.
 
Portanto, segundo a assessoria de comunicação do governo sanfranciscano, o Educa Chico vai realizar um acompanhamento especializado à juventude em situação de risco e vulnerabilidade social, pertencente às famílias beneficiárias de programas de transferência e complementação de renda, como o Pas e o Bolsa Família, do governo federal.
 
O acompanhamento a ser efetuado pelo programa também englobará adolescentes egressos de medida socioeducativa de internação ou em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto, egressos do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (Peti) ou vinculados a projetos de combate à violência e ao abuso e à exploração sexuais e jovens com necessidades especiais e que não estão frequentando as aulas em razão da evasão escolar e/ou com defasagem de idade, ano e série.
 
Para garantir a adesão do aluno ao Educa Chico, independentemente de sua origem, ele precisa atender aos seguintes critérios: residir apenas em São Francisco do Conde e estar matriculado há dois anos no Ensino Fundamental II do município.
 
A prefeita Rilza Valentim propõe investimentos da ordem de R$ 3 milhões por ano. Para ela, toda a estrutura do município está mobilizada na iniciativa. “Tenho certeza que toda a cidade abraçará o Educa Chico e seremos reconhecidos como Cidade Educadora”, engajou-se.
 
Notas definem valor da bolsa recebida pelo aluno
 
Segundo a coordenadora do Educa Chico, Ana Chrystina, o resultado obtido pelo estudante no final do ano letivo vai determinar o valor da bolsa que receberá. Ela salienta que a nota média no município equivale a 5 pontos e, se o aluno conquistar uma pontuação acima da média e obter um bom aproveitamento nas atividades complementares, será contemplado com quantias de forma escalonada.
 
“Por exemplo, quem tirar de 5 a 5,9, receberá R$ 700. Caso tire de R$ 6 a R$ 6,9, terá direito a R$ 1 mil. Acima da nota 7 será R$ 1,2 mil”, demonstrou. Ainda conforme Ana, todos os dados registrados nas atividades complementares serão computados.
 
O acúmulo dos pontos previamente determinado, somado ao cálculo da média padrão correspondente às disciplinas de Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Sociais e à aprovação do aluno no ano letivo, lhe viabilizará sua permanência no programa. “O resultado irá habilitá-lo a receber a bolsa”, disse a coordenadora do projeto.

Folia no Pelourinho homenageia blocos afro

Grade de programação inclui apresentações de vários artistas no palco principal, nas ruas e nos largos

Com informações do Correio* 24 Horas e do Jornal da Mídia
 
Brown, Margareth, Baiana System, Mariene (acima, da esquerda para a direita) e outros farão shows no Largo do Pelourinho
(Fotos: Divulgação)
 
Em pleno período carnavalesco, o Pelourinho encontra-se enfeitado com as decorações inspiradas no tema “Bahia Negra: Caymmi e Ilê”, de autoria do artista plástico J. Cunha. A temática da folia no bairro histórico homenageia os blocos de matriz africana, como o Ilê Aiyê, que neste ano completa 40 primaveras de existência, os Commanches do Pelô, o Badauê e o Afoxé Filhos de Gandhy.
 
O tema ainda presta tributo ao centenário de nascimento do cantor e compositor Dorival Caymmi (1914-2008). Um dos protagonistas do Carnaval baiano, o Pelourinho já tem 15 shows confirmados na grade de programação. Carlinhos Brown, Lazzo Matumbi, Margareth Menezes, Mariene de Castro e a banda Baiana System, entre outros artistas, se apresentarão no palco principal montado no Largo do Pelourinho.
 
Nas ruas e praças do Centro Histórico, vão acontecer desfiles de 20 grupos musicais e 12 grupos performáticos. Além disso, o Carnaval da Cultura trará ao Pelô 36 atrações musicais, distribuídas nos largos Tereza Batista, Pedro Archanjo e Quincas Berro d’Água. Na programação multicultural dos largos, haverá shows que privilegiam gêneros diversos.
 
Vão ser apresentados, conforme o portal Jornal da Mídia, atrações alinhadas a ritmos como samba, reggae, antigos carnavais, axé, afropop, pop-rock, rap, hip-hop e arrocha, além de orquestras e entidades afro. Os artistas foram selecionados democraticamente por uma comissão plural e criteriosamente qualificada, composta por membros do ramo artístico.
 
“Esta busca pelo equilíbrio decorre da visão compartilhada pela Secretaria (Estadual de Cultura) e pela comissão de curadores acerca da relevância da diversidade cultural para uma política cultural ampla e democrática, que contemple os gostos dos mais diversos públicos. Afinal, o Carnaval do Pelourinho tem se afirmado como o Carnaval da diversidade cultural”, argumentou o secretário de Cultura, Albino Rubim.

Educador social é eleito Rei Momo

Aos 37 anos e pesando apenas 100 kg, Renildo Barbosa venceu nove concorrentes e vai reinar soberano no Carnaval deste ano
 
Com informações dos portais A Tarde e Correio* 24 Horas
 
Como prêmio, Renildo foi contemplado com R$ 15 mil em cheque nominal
(Foto: Divulgação/TextoeCia)
 
Já foi escolhido o novo Rei Momo do Carnaval de Salvador. Aos 37 anos, o educador social Renildo Barbosa, que pesa somente 100 kg, venceu a eleição para o posto absoluto da folia soteropolitana para este ano, ao derrotar outros nove finalistas. A solenidade aconteceu na noite da última sexta-feira (21), no Largo de Santo Antônio Além do Carmo, no Centro Histórico.
 
Na próxima quinta-feira (27), Renildo, morador do bairro da Federação, receberá do prefeito ACM Neto (DEM) as chaves da cidade, inaugurando oficialmente as festividades de rua de 2014. Com a participação do guitarrista Armandinho Macedo, o evento teve também apresentações de colombinas e pierrôs de Maragogipe, no Recôncavo Baiano, e de uma banda de fanfarras.
 
Ao ser coroado Rei Momo, Renildo Barbosa foi premiado com R$ 15 mil em cheque nominal, além de reinar sobre Salvador com toda sua majestade e ostentação durante o período carnavalesco, compreendido entre os dias 27 de fevereiro, quinta-feira, e 5 de março, Quarta-Feira de Cinzas.
 
O concurso foi iniciado quando 17 homens, de no mínimo 100 kg, se inscreveram. Entre eles, apenas dez se classificaram para a final, em votação pela internet. Além de Renildo, os candidatos André Luís, Bruni Paixão, Dilson Chagas, Edgar Pessoa, Fred Silva, Lucas Eduardo (Dudu), Luciano Miranda (Babu), Omar de Santana e Paulo Sérgio disputaram a coroa.
 
Uma comissão avaliadora, integrada por sete membros escolhidos entre personalidades dos segmentos artístico, cultural e carnavalesco, elegeu o educador social entre os finalistas. De acordo com a enquete realizada pela internet, ele informou que foi o concorrente mais bem votado, recebendo 34% dos votos.
 
Ao lado da Rainha Vanessa e da Princesa Ana Cláudia, Alan Nery é o novo Momo laurofreitense
(Foto: Nazaré Araújo/Divulgação)
 
Lauro também já tem Rei
 
Na vizinha Lauro de Freitas, na Região Metropolitana, já foram definidos o Rei Momo, a Rainha e a Princesa do Carnaval de 2014, o Carnaval Oficial Paz e Alegria (Copa). Em cerimônia organizada coincidentemente na noite de sexta-feira (21), no Cine Teatro da cidade, e acompanhada pela população laurofreitense, apresentaram-se dois candidatos a Rei Momo e seis candidatas a Rainha do Carnaval.
 
Valendo-se dos quesitos simpatia, beleza e elegância, em cada um dos três desfiles – traje esporte, traje banho e fantasia –, a comissão julgadora elegeu o Rei Momo Alan Nery, a Rainha Vanessa Lima e a Princesa Ana Cláudia Nonato. Ao assumir o trono, Alan decretou de imediato a paz e a alegria. “Durante o meu reinado na Corte Carnavalesca, irei levar paz, amor e alegria a todos que curtirem o Carnaval de Lauro de Freitas”, conclamou o soberano.
 
A Rainha Vanessa expressou sua satisfação em representar a beleza negra e a folia de sua cidade. “Vou cumprir minha missão com muita honra e responsabilidade, focada na paz e na alegria”, reiterou. E a Princesa Ana Cláudia também ressaltou a importância de simbolizar a sua terra. “Sou filha desta cidade e estou muito feliz em representá-la no Carnaval de 2014. Meu papel é transmitir alegria aos foliões de Lauro de Freitas”, garantiu.
 
Para o secretário municipal de Cultura, Alexandre Marques, eleito padrinho da folia laurofreitense deste ano, “três figuras ilustres do nosso Carnaval estão sendo homenageadas, nomeando os circuitos: Sivu, Jorge Astral e Dona Badinha”. Representada no evento por sua assessora, Carol Lopes, a primeira-dama do município, Adriana Paiva, se tornou a madrinha do Carnaval.

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Oposicionistas baianos se unem para evitar confrontos

Pré-candidatos teriam entrado na corrida sucessória ao governo estadual após deputado recomendar que tucanos renunciassem a aliança
 
Com informações da Tribuna da Bahia
 
Segundo Luciano Simões, PSDB “terá a oposição mais forte do Nordeste”
(Foto: Divulgação/Assembleia Legislativa da Bahia)
 
O líder do PMDB na Assembleia Legislativa, deputado Luciano Simões, havia sugerido que o PSDB deveria deixar a vaga de vice-governador das forças opositoras para agregar outro partido componente da aliança. No entanto, para aliviar a polêmica, os pré-candidatos João Gualberto (PSDB), apontado como o provável vice, e Geddel Vieira Lima (PMDB), que disputa a titularidade da chapa com o ex-governador Paulo Souto (DEM), teriam entrado no páreo.
 
Fontes ouvidas nos bastidores afirmam que, apesar de o propósito de Simões ter sido a soma de apoios, a ideia é evitar supostas divergências entre os postulantes oposicionistas baianos para que a coesão não seja ameaçada para as eleições a serem realizadas em outubro. Conforme o parlamentar, os tucanos serão agraciados com o “supremo” da chapa pelo fato de possuir a pré-candidatura à Presidência da República, representada pelo senador Aécio Neves (MG).
 
“O PSDB já vai ser aquinhoado tendo a oposição mais forte do Nordeste, com os aliados DEM, PMDB, PSC, PTC e PV, sendo beneficiado com a cabeça da (aliança em nível) nacional. Defendo que eles cedam para que outro partido possa participar, inclusive aqueles que estão insatisfeitos com o governo. Se não entenderem, é falta de compreensão”, projetou, em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia.
 
Luciano Simões cogitou ainda a possibilidade de o Partido Progressista (PP), capitaneado na Bahia pelos deputados federais João Leão e Mário Negromonte, migrar para a órbita contrária ao governador Jaques Wagner (PT). “Caso ele (o PP) se defina pela oposição, será muito bem recepcionado”, afirmou. Os progressistas foram importantes aliados na reeleição de Wagner em 2010, indicando para vice o ex-carlista Otto Alencar, atualmente no PSD, do qual é presidente em âmbito estadual.
 
Adolfo Viana reiterou que seu partido tem colaborado na união oposicionista
(Foto: Divulgação/Assembleia Legislativa da Bahia)
 
“Busca pela unidade”
 
Em nome do PSDB, o líder da legenda na Assembleia, deputado Adolfo Viana, rebateu o posicionamento do colega peemedebista. Além disso, Viana reafirmou que os tucanos têm colaborado constantemente na união das oposições, para mais uma vez “buscar essa unidade” para o pleito sucessório ao Palácio de Ondina.
 
“Na eleição de Salvador (em 2012), o PSDB cedeu ao PV a vaga de candidato a vice (a professora Célia Sacramento), observando que o PMDB apoiava outro candidato a prefeito de Salvador (lançou o radialista Mário Kertész). Mas agora é diferente. Reiteramos nossa defesa pela participação apresentando o nome do ex-prefeito (de Mata de São João) João Gualberto”, enfatizou, em depoimento à Tribuna.

Elton John faz um espetáculo superproduzido na Fonte Nova

Músico britânico interpretou seus clássicos para uma plateia formada por mais de 40 mil pessoas, apesar da demora no início do show
 
Com informações do portal A Tarde
 
Cantor, compositor e pianista tem uma trajetória vitoriosa resultante de mais de 40 anos
(Foto: Margarida Neide/Agência A Tarde)
 
Mesmo com o atraso provocado pela chuva que caiu sobre Salvador, Elton John fez, na noite deste sábado (22), um espetáculo digno de uma apresentação internacional. No show, que ocorreu na Arena Fonte Nova, o músico britânico cantou seus maiores sucessos que marcaram os mais de quarenta anos de uma brilhante trajetória artística.
 
A etapa brasileira da turnê, batizada de Follow Yellow Brick Road, estreou na última quarta-feira (19), na HSBC Arena, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Passados dois dias, na sexta-feira (21), foi a vez de a Arena Goiânia, na capital de Goiás, recepcionar o astro, que terminará a excursão pelo país na próxima quarta-feira (26), na Arena Castelão, em Fortaleza, no Ceará.
 
Caracterizado por uma iluminação impecável, o primoroso e superproduzido show da turnê em Salvador acumulou cifras superiores a 36 mil pagantes e a 40 mil pessoas na plateia, segundo a assessoria do músico. O início da apresentação foi demorado em decorrência da chuva, que veio de surpresa minutos antes de Elton John subir ao palco.
 
Pronto para seduzir fãs
 
O incidente cessou, porém o músico de 66 anos já pôde, imediatamente, seduzir o público que lotou os assentos da Fonte Nova, mesclando antigos hits e canções do seu álbum mais recente, The diving board, de 2013. Entre os sucessos que colecionaram legiões de fanáticos mundo afora, Elton interpretou Rocket man (1972), Skyline pigeon (1969) e Philadelphia freedom (1975).
 
No momento em que o cantor, compositor e pianista inglês fez a releitura de Skyline pigeon, um de seus clássicos, o público se encheu de emoção. De acordo com o portal A Tarde, que cobriu o espetáculo, os espectadores acenderam as luzes de seus celulares quando Elton lhes despediu, dizendo um “obrigado” em tom emocionado.
 
Enquanto o artista cantou Saturday night’s alright for fighting (1973) ao encerrar o show, a plateia pediu para que ele tocasse mais um número para fechar em definitivo a apresentação. Elton John acabou selecionando uma canção especial, Your song, a predileta da princesa Diana (1961-1997), sua amiga. “Vou tocar uma música que, sem ela, essa noite não seria a mesma”, anunciou, antes de cantá-la.

Papa Francisco nomeia Dom Orani Tempesta novo cardeal

Arcebispo do Rio de Janeiro foi oficialmente designado pelo pontífice como um de seus 19 novos auxiliares, com a presença de Bento XVI
 
Com informações do Jornal Hoje, da TV Globo, e do portal G1
 
Dom Orani, assim como todos os outros cardeais recém-nomeados, recebeu do papa o solidéu, o anel e o barrete
(Foto: Reprodução/Globo News)
 
O papa Francisco nomeou oficialmente, na manhã deste sábado (22), na Basílica de São Pedro, no Vaticano, dezenove novos cardeais. Entre eles, está um brasileiro, Dom Orani Tempesta, arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro. Com a nomeação, ele passa a ser denominado Cardeal Arcebispo Dom Orani Tempesta.
 
A cerimônia teve a presença do papa emérito Bento XVI, um ano após sua renúncia. Convidado pelo atual pontífice, o antecessor compareceu à sua primeira cerimônia pública e foi aplaudido ao entrar na basílica. Os papas se abraçaram e Bento XVI retirou o solidéu – pequeno barrete usado para fins religiosos – em respeito a Francisco.
 
O anúncio da criação de Dom Orani e de outros dezoito subordinados diretos do papa foi feito em 12 de janeiro. Foi a primeira vez que ele anunciou nomes para ocupar o cardinalato desde que assumiu a chefia da Igreja Católica, em março do ano passado. Antes da saída de Bento XVI, já havia expectativas de que Dom Orani fosse designado cardeal, mas a renúncia do papa adiou a nomeação que manteve a tradição na arquidiocese.
 
No primeiro consistório, que é a reunião de cardeais, do seu pontificado, Francisco leu, em latim, a fórmula de criação dos cardeais e chamou o nome de cada um deles. Todos os novos cardeais proferiram um juramento e receberam das mãos do papa o solidéu, o anel e o barrete cardinalício na cor vermelha, símbolo do sangue derramado pela Igreja. Eles ainda receberam o título de uma igreja de Roma. No caso de Dom Orani Tempesta, a designada foi a Igreja de Santa Maria Mãe da Providência.
 
A seus auxiliares recém-nomeados (veja relação abaixo), o pontífice disse, em discurso, que a Igreja precisa da coragem deles para anunciar o Evangelho, de orações e compaixão em meio à dor e ao sofrimento em várias regiões do planeta. De acordo com Francisco, um cardeal deve ser lembrado pela austeridade, sobriedade e pobreza. “Não é uma promoção. Ser cardeal é servir”, argumentou.
 
Um fato inédito no consistório: o Haiti, país caribenho devastado pela miséria e por grandes catástrofes naturais, como o terremoto de 2010, ganhou seu primeiro cardeal. Trata-se de Dom Chibly Langlois, 55 anos, bispo da cidade de Les Cayes.
 
Hoje, o colégio cardinalício é constituído por 218 representantes. 96 deles têm idade superior a 80 anos, enquanto os 122 membros restantes são eleitores (têm direito a voto). Ao término da cerimônia, Dom Orani recebeu os cumprimentos da presidente da República, Dilma Rousseff (PT). De Roma, Dilma segue para Bruxelas, na Bélgica, onde, na próxima segunda-feira (24), irá comparecer à VII Cúpula Brasil-União Europeia.
 
Como arcebispo do Rio, foi anfitrião do pontífice e principal organizador da Jornada Mundial da Juventude
(Foto: Cristiane Cardoso/G1 – Julho de 2013)
 
Tímido e conciliador
 
Dom Orani João Tempesta, à frente da Arquidiocese do Rio desde 2009, tem como atributos principais a timidez e a habilidade em conciliar. Nascido há 63 anos em São José do Rio Pardo, interior de São Paulo, ingressou aos 18 no Mosteiro Cisterciense, em sua cidade natal, onde atuou no setor de comunicação em paróquias da Diocese de São João da Boa Vista.
 
Foi ordenado padre em dezembro de 1974. Ainda no mosteiro, onde o sacerdote permaneceu por quase 30 anos, foi eleito abade (responsável pelo templo), em 1996. No ano seguinte, o papa João Paulo II o nomeou bispo da diocese de São José do Rio Preto, também no interior paulista, com o lema episcopal “De modo que todos sejam um”.
 
Em 2004, Dom Orani foi designado por João Paulo II arcebispo de Belém do Pará, permanecendo até 2009. Durante esse período, o religioso também exerceu a presidência da Comissão Episcopal para a Cultura, Educação e Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Em fevereiro de 2009, o papa Bento XVI o nomeou arcebispo do Rio de Janeiro, seu cargo atual.
 
Aproximou-se de Francisco ao ser anfitrião do pontífice durante sua viagem oficial ao Rio de Janeiro para a Jornada Mundial da Juventude, realizada em julho do ano passado. Na oportunidade, Dom Orani Tempesta teve a incumbência de recepcionar milhões de fiéis brasileiros e estrangeiros, além de lidar com problemas estruturais, como a transferência do evento do Campo de Guaratiba, afetado pelas chuvas, para a Praia de Copacabana.
 
Conforme familiares e amigos de Dom Orani, o método conciliador como conduziu a Jornada, da qual ele foi o mais relevante organizador, pode ter influenciado o papa na escolha do arcebispo brasileiro para um dos cargos de cardeal.
 
O abade do Mosteiro Cisterciense de São José do Rio Pardo, Dom Paulo Celso Demartini, amigo há 40 anos, revelou ao G1 que o novo cardeal tenta resolver conflitos entre pessoas de forma fantástica, chegando a um consenso. “Na verdade, ele procura mostrar que as duas partes estão certas, mas que cada uma tem que reconhecer as complementariedades das opiniões”, esclareceu.

Langlois tornou-se o primeiro cardeal haitiano
(Foto: Arquivo)

A safra dos criados franciscanos

Eleitores

1) Monsenhor Andrew Yeom Soo-jung, 70 anos, arcebispo de Seul, na Coreia do Sul.

2) Monsenhor Beniamino Stella, 72 anos, arcebispo titular de Midila, na Itália, e prefeito da Congregação para o Clero.

3) Monsenhor Chibly Langlois, 55 anos, bispo de Les Cayes, no Haiti.

4) Monsenhor Gérald Cyprien Lacroix, 56 anos, arcebispo de Quebec, no Canadá.

5) Monsenhor Gerhard Ludwig Müller, 66 anos, bispo emérito de Regensburg, na Alemanha, e prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé.

6) Monsenhor Gualtiero Bassetti, 71 anos, arcebispo de Perugia-Città della Pieve, na Itália.

7) Monsenhor Jean-Pierre Kutwa, 68 anos, arcebispo de Abidjan, na Costa do Marfim.

8) Monsenhor Leopoldo José Brenes Solórzano, 64 anos, arcebispo de Manágua, na Nicarágua.

9) Monsenhor Lorenzo Baldisseri, 73 anos, arcebispo titular de Diocleziana, na Itália, e secretário geral da Congregação para os Bispos do Vaticano.

10) Monsenhor Mario Aurelio Poli, 66 anos, arcebispo de Buenos Aires, na Argentina.

11) Monsenhor Orani João Tempesta, 63 anos, arcebispo do Rio de Janeiro, no Brasil.

12) Monsenhor Orlando Beltrán Quevedo, 74 anos, arcebispo de Cotabato, nas Filipinas.

13) Monsenhor Philippe Nakellentuba Ouédraogo, 69 anos, arcebispo de Ouagadougou, em Burkina Faso.

14) Monsenhor Pietro Parolin, 59 anos, arcebispo titular de Acquapendente, na Itália, e secretário de Estado do Vaticano.

15) Monsenhor Ricardo Ezzati Andrello, 72 anos, arcebispo de Santiago do Chile.

16) Monsenhor Vincent Nichols, 68 anos, arcebispo de Westminster, no Reino Unido.

Não-eleitores

1) Monsenhor Fernando Sebastián Aguilar, 84 anos, arcebispo emérito de Pamplona e Tudela, na Espanha.

2) Monsenhor Kelvin Edward Felix, 81 anos, arcebispo emérito de Castries, em Santa Lúcia.

3) Monsenhor Loris Francesco Capovilla, 98 anos, arcebispo-prelado emérito de Loreto, na Itália.